Chevrolet Camaro SS 2011

Lançado em 1966 e concorrente direto do Ford Mustang, o Camaro recebeu em 1965 o codinome Panther e, no dia 21 de Junho de 1966, jornalistas automotivos receberam um telegrama da General Motors em que pediam para guardar o próximo dia 28 para ajudar um “arranhão de gato”, assinado pelo secretário de relações públicas da montadora, John L. Cutter.

Porém, no dia seguinte, os mesmos jornalistas receberam outro telegrama, “Sociedade para a Erradicação das Panteras do Mundo Automotivo irá realizar a última primeira reunião em 28 de junho”, assinado também pelo secretário de relações públicas e deixando os jornalistas intrigados e curiosos.

Chegando o dia 28 de Junho de 1966, a General Motors convoca uma entrevista coletiva ao Vivo em um Hotel de Detroit e pela primeira vez na história, 14 cidades estavam ligadas em tempo real em uma conferência de imprensa através de linhas telefônicas.

Na coletiva, o gerente geral da Chevrolet, Pete Estes, iniciou relembrando aos participantes o conteúdo contido nos telegramas enviados, dizendo que esta seria a primeira e ultima reunião do SEPAW e apresentou uma nova linha de automóveis que curiosamente iniciavam com a letra C, Corvair, Corvette, Chevelle… Camaro.

Logo olhares e perguntas curiosas de jornalistas automotivos eram realizados para os gerentes de projeto da montadora, os quais responderam da forma mais simples e limpa possível. O que é um Camaro? E a resposta não poderia ser melhor: “Um círculo vicioso, que se alimenta de pequenos animais Mustangs.”

Assim nasce uma lenda, que em 1967 já era o escolhido como Pace Car da tradicional 500 Milhas de Indianápolis. Quarenta anos depois nascem o que é conhecido como a releitura dos modelos de primeira geração, nascido também para, como fazia antigamente, se alimentar de pequenos animais Mustangs, sendo considerado o mais rápido da categoria. Tornou-se conhecido por não ser apenas um Chevrolet Camaro, mas sim o Bumblebee, do filme Transformers.

No Brasil, entre seus concorrentes, é o único da categoria que é importado oficialmente por sua montadora. O carro consegue ser incrível e sua releitura de design foi extremamente bem sucedida, o Chevrolet despeja agressividade pelo seu design chamativo com suas linhas arredondadas, o que torna sua presença imponente.

Sua plataforma foi adaptada do Chevrolet Omega australiano e utiliza suspensão independente Multilink e freios Brembo nas quatro rodas. “Suas rodas são de aro 20”, equipadas com pneus 245/45 na dianteira e 275/40 na traseira.

Na tecnologia que envolve o modelo podemos ressaltar de inicio o câmbio automático de seis velocidades, esse que, pode ser usado de forma manual por modos de botões atrás do volante. O ar condicionado infelizmente não é digital, permitindo apenas a seleção de intensidade, mas não de a temperatura desejada.

É equipado com seis airbags (dianteiros, laterais e de cortina), direção hidráulica, computador de bordo, sensores de estacionamento, sensores de pressão dos pneus, freios ABS, controle de tração e também o ESP (programa eletrônico de estabilidade), esse que, quando desativado, permite ao condutor um controle total do veículo, o que é extremamente divertido, pois permite ao piloto um uso bruto do Muscle Car, resgatando ainda mais suas origens.

O interior é apresentado de forma retro e seu painel possui mostradores circulares e também quatro instrumentos de medição na frente do câmbio, exatamente como produzido em 1967. O ponto mais interessante vem do head-up display, o qual projeta o painel no vidro diretamente na visão do motorista (com regulagem), da mesma forma que existe nos aviões, mas esse apresentando informações como o giro do motor, km/h e Cruise control.

Na parte mais importante, o motor 6.2 V8 com bloco de alumínio do Camaro despeja em suas rodas traseiras uma potência de 406cv a 5.900 RPM e 56,7 kgfm entregues a 4.600 RPM. Seu 0-100km/h é realizado em 5,6s e sua velocidade máxima é de 250km/h, infelizmente limitada eletronicamente. Seu consumo é digno de um V8, mas nada assustador comparado com alguns motores seis cilindros vendidos atualmente, 5,0km/L.

Ao dirigir, a primeira impressão vem da qualidade dos materiais do interior e da forma em que o banco, amigavelmente, abraça o condutor. É impossível não se encantar com as linhas internas e, de certa forma se sentir Marty Mcfly, viajando ao tempo e dirigindo um verdadeiro e bruto Muscle Car dos anos 60.

Ao dar a partida, a visão perde o foco, esse se tornando puramente audição: o ronco do 6.2 V8 é incrível e completamente instigante a aceleradas e, mesmo em ponto morto elas são inevitáveis e ainda não satisfatórias. Com o carro em sua forma moderada, utilizando do câmbio completamente automático, a direção é espantosa, pelo fato do carro parecer completamente manso e civil, até pisar até o fundo no acelerador. O torque despejado é indescritível e a única sensação que ele passa é de, literalmente, arrancar um pedaço do asfalto.

No modo manual, utilizando das passagens de marcha que se encontram atrás do volante, o carro fica ainda mais na mão do condutor, podendo proporcionar emoções até o limite do condutor ou do carro. O espanto vem com o ESP desligado, o qual passa medo até a primeira acelerada: obviamente você perde a segurança e a potência que é dispensada pelo motor é puramente dosada com o pé do motorista, mas, não é espantoso, nem difícil, mas completamente divertido.

Se meu pai em seus anos dourados a bordo de verdadeiros V8 esbanjando potência não precisava (até porque não existia) de ESP eu também não precisei, sem nenhum tipo de susto.

Resumindo, o Camaro é um carro incrível. A Chevrolet conseguiu resgatar o que foi uma das maiores lendas no mercado automotivo, ainda pecando em itens como o pequeno espaço traseiro inteiro, o pequeno vidro dianteiro (exige certo costume com o veículo) e as lentas trocas de câmbio, corrigida no modelo 2012.

Porém, o preço atrativo de cerca de R$200 mil reais, comparando com automóveis de potência similar, o Camaro sai na frente, sendo hoje a escolha de diversos compradores, com 545 unidades compradas em 2011. Sem falar que, o Bumblebee do filme Transformers é único . É um Camaro; e nenhum outro carro pode te passar a sensação de um verdadeiro astro do cinema.

O Camaro SS usado nesta matéria, está a venda na Bellos Car (Av. Gal. Mário Tourinho 978, em Curitiba-PR) e anunciado no SóCarrão em http://migre.me/85srv , assim como outros carros da loja, em http://migre.me/85sx5 .

Texto e Fotografias: Mauricio Daniachi

Agradecimentos especiais ao Museu do Automóvel de Curitiba, que cedeu o local para as fotos.