A função de um catalisador

A função de um catalisador é muito importante dentro do funcionamento do veículo: transformar os gases tóxicos, resultantes da combustão do motor, em gases inofensivos, reduzindo assim a emissão de poluentes na atmosfera. Para isso, que isso aconteça com efeito, é necessário ter uma peça de boa procedência e que esteja funcionando em ordem.
Catalisador ou conversor catalítico é um dispositivo que converte três componentes nocivos do sistema de escapamento do carro em compostos inofensivos.

Os três compostos nocivos são:

  • hidrocarbonetos (na forma de gasolina não queimada)
  • monóxido de carbono (formado pela combustão da gasolina)
  • óxidos de nitrogênio (criados quando o calor no motor força o nitrogênio do ar a se unir ao oxigênio).

O monóxido de carbono é um veneno para todo ser que respira. Os óxidos de nitrogênio formam névoa fotoquímica (smog) e chuva ácida e os hidrocarbonetos também forma esta névoa.
Em um conversor catalítico, o metal catalisador (na forma de platina, ródio e paládio) é envolto em núcleos cerâmicos ou contas cerâmicas que são abrigados numa caixa parecida com um silenciador, anexada ao cano do escapamento.
O catalisador ajuda a converter o monóxido de carbono em dióxido de carbono. Ele converte os hidrocarbonetos em dióxido de carbono e água. Converte, também, óxidos de nitrogênio em nitrogênio e oxigênio.

É sempre importante lembrar que existe um modelo específico para cada tipo de veículo, portanto em caso de troca, consulte o catálogo do fabricante.

Estão localizados, na maioria das vezes, embaixo do assoalho do carro, geralmente, próximos ao câmbio. Com o avanço dos projetos, cada vez mais a peça fica próxima do motor, onde a reação química conversora de gases é mais efetiva, devido ao calor.

Além da questão das emissões, o catalisador influi diretamente no desempenho do veículo, mais um motivo de manter a peça em boas condições. “Ao oferecer resistência à passagem dos gases, que chegam do coletor de escapamento, o catalisador realiza uma contrapressão que faz parte da calibração do motor. Se acontecer algum defeito, podemos ter uma leitura errônea da sonda lambda, fazendo que o sinal seja enviado até o módulo de forma incorreta, alterando os parâmetros de injeção e fazendo com que o veículo consuma mais combustível. Por isso não se deve remover o miolo cerâmico e muito menos o catalisador do sistema de escapamento do veículo.

É importante enfatizar que, de acordo com o PROCONVE, os catalisadores originais de fábrica têm durabilidade mínima de 80 mil Km. Os catalisadores para reposição, também originais, duram cerca de 40 mil Km. Essa durabilidade varia de acordo com a utilização do veículo, com o tipo de combustível utilizado entre outros fatores.

Assim não esqueça de olhar o seu quando atingir a quilometragem indicada no seu manual do proprietário. Faz bem para o planeta e para seu carro.

Agora que você já sabe a importância do catalisador, acesse o SóCarrão para comprar ou vender o seu veículo: SóCarrão