Após um ano de trabalho, BMW lança F1.09 de olho no primeiro título mundial

Equipe foi uma das primeiras a testar as novas mudanças aerodinâmicas
Do rascunho para as pistas. Após pouco menos de um ano de trabalho, nesta terça-feira, a BMW Sauber tirou do papel o seu F1.09, carro que será usado por Robert Kubica e Nick Heidfeld na temporada deste ano da Fórmula 1. O lançamento foi no circuito de Valência, na Espanha, e trouxe uma equipe bastante confiante no desempenho do novo carro. Terceira colocada no Mundial de Construtores de 2008, a BMW Sauber quer mais e espera chegar ao tão sonhado título.
– Anunciamos nossos planos para 2009 há quatro anos. Inicialmente viriam os primeiros pontos em 2006, depois o primeiro pódio em 2007, a vitória em 2008 e então a luta pelo campeonato a partir deste ano. Atingimos todos os objetivos e não temos por que abandonar o último alvo. Queremos lutar pelo título com as outras duas grandes equipes (Ferrari e McLaren) e com quem mais quiser entrar na briga – disse o diretor esportivo da equipe, Mario Theissen, durante o lançamento.
“Queremos lutar pelo título com as outras duas grandes equipes e com quem mais quiser entrar na briga – Mario Theissen”
Logo após o lançamento, o F1.09 já foi para a pista, para onde retornará no fim do dia para novos testes. A BMW Sauber foi uma das primeiras equipes a testar, ainda em 2008, as mudanças aerodinâmicas exigidas pela Federação Internacional de Automobilismo para este ano, além do novo sistema de recuperação de energia cinética, o Kers. Diretor administrativo do grupo, Walter Riedl lembra os planos traçados pela BMW para 2009.
– O desenvolvimento do F1.09 foi centrado em três áreas chaves: aerodinâmica, utilização perfeita dos pneus e a integração com o Kers.
Embora já venha testando o Kers há mais tempo, a BMW Sauber ainda tem dúvidas se levará o sistema para as pistas já na primeira prova do ano, no GP da Austrália, em 29 de março.
– Ainda estamos trabalhando duro nele, mas não estamos prontos. Tenho certeza que o estaremos em algum momento, mas não sei se estaremos prontos em Melbourne. Esse é um problema das inovações, você se arrisca e não sabe quando tirará proveito disso.
Fonte: Globoesporte.com