Chaves inteligentes de carro terão função de cartão de crédito

Sistema permite personificação do automóvel ao gosto do dono.
Equipamento regula bancos, ar-condicionado e estações de rádio.
Desde a Roma Antiga há registros do uso de chaves, ainda que primitivas, para aumentar a proteção das moradias. Com o passar dos séculos, as chaves evoluíram, mas mantiveram o propósito de apenas travar e destravar fechaduras. Nos carros não foi diferente e, até pouco tempo atrás, elas tinham a única função de liberar as portas e a tampa do tanque de combustível, além de ligar o motor. Mas isso mudou com a chegada das chaves inteligentes, que começaram nos carros de luxo e já estão migrando para alguns modelos medianos.
A chave ganhou o status de “cartão de visitas” do carro, recebendo atenção especial dos designers e, principalmente, acumulando funções de praticidade e personificação. Além de ligarem o automóvel sem serem introduzidas na coluna de direção, há sistemas que acionam o ar-condicionado na temperatura e velocidade desejadas, regulam os bancos, o volante e os espelhos retrovisores e até as estações de rádio preferidas.
“Em vários modelos da BMW a chave tem um chip que armazena as regulagens preferenciais do motorista e ao colocá-la no contato o carro prepara o ambiente ao gosto do dono”, explica Sérgio Sanches, técnico master da revenda Eurobike BMW. Essa tecnologia não vem em todos os modelos, mas pode ser encomendada como acessório.
Outra função cada vez mais comum nas chaves inteligentes é a capacidade de abrir as portas e ligar o motor sem tirá-las do bolso, conhecido como Keyless (“sem chave”, em português). Sistemas como o do Chevrolet Captiva são acionados por um botão na chave, já no Ford Focus basta apertar uma tecla no console. O mais irônico é que aquela parte de metal cheia de reentrâncias, que era o “coração da chave”, não está à vista nos modelos mais modernos – ficam embutidas para casos emergenciais em que há falha do sistema eletrônico ou término da bateria da chave.
A Volvo, conhecida pelo esmero na segurança de seus modelos, desenvolveu um sistema que monitora o carro à distância. Por meio de LEDs na chave é possível saber se o alarme foi disparado, se as portas estão efetivamente trancadas e até se há um “invasor” no interior do carro. Sensores de batimento cardíaco fazem a leitura e transmitem a informação diretamente para chave. Atualmente as versões topo de linha do sedã S80 e do recém-lançado SUV XC60 têm esse equipamento.
Guardiã
Além de comodidade para o motorista, algumas chaves inteligentes prometem dar tranquilidade aos pais. É o caso do sistema MyKey (“minha chave”, em português) que a Ford desenvolveu e já estará presente nos modelos 2010 do Focus, nos Estados Unidos. Nele é possível limitar a velocidade máxima em 80 mph (129 km/h) e ainda bloquear o sistema de som até que os cintos de segurança estejam devidamente afivelados. Tudo para garantir que os jovens usem o carro de forma segura.
Futuro
As montadoras acreditam que as chaves inteligentes ganharão ainda mais funções em um futuro próximo, acumulando propriedades de telefonia, navegação por GPS e internet, enfim, serão verdadeiros computadores de mão. Elucubrações à parte, a BMW já trabalha em parceria com a empresa de semicondutores NXP no protótipo de uma chave inteligente com função de cartão de crédito. Um chip na chave guardará os dados bancários do cartão e bastará digitar uma senha para pagar a conta do restaurante ou supermercado. Haja comodidade.