Chevrolet Volt resolve um dos principais problemas do carro elétrico: a autonomia

Chevrolet Volt resolve um dos principais problemas do carro elétrico: a autonomia
No último Salão de Detroit, nenhum carro foi mais relevante tecnicamente que o conceito Chevrolet Volt. Utilizando a combinação de motores elétrico e a gasolina, ele não segue a fórmula clássica de um híbrido. Mas o que diferencia o Volt de um Toyota Prius, o mais celebrado carro alternativo do mercado americano?

Para rodar em baixas velocidades, o Prius utiliza um motor elétrico de 67 cv. O motor a gasolina entra em ação quando o carro precisa de velocidades maiores, como na estrada. Este tem 1,5 litro e 76 cv. Para um desempenho ainda superior, ambos podem operar juntos. A distribuição da responsabilidade pela geração de força é feita por uma unidade de controle de força. Se o dono não recarregar a bateria, o Prius roda com gasolina, mas um gerador aproveita a rotação do motor para alimentá-la novamente.

Esse subproduto do motor a combustão do Prius é a principal função de seu equivalente no Volt. Batizado de E-flex, o sistema do Chevrolet usa um motor elétrico e uma bateria de íon-lítio, recarregável em seis horas numa tomada de 110 volts, com autonomia para 64 quilômetros e que pode estar no mercado em 2010. Esse é o motor do carro que transfere tração para as rodas, portanto o Volt é na prática um carro elétrico, não híbrido. Se acabar a carga com o carro em movimento, aí sim seu motor a gasolina turbinado, de três cilindros e 1 litro, passa a atuar com um gerador de 53 kW, mas só para levar energia ao motor elétrico. Esse conjunto é chamado de extensor de distâncias. Ele não substitui em nenhum momento o motor elétrico, apenas o alimenta quando necessário.

1) MOTOR ELÉTRICO
A alma do Volt é o motor elétrico com 120 kW de potência, equivalente a 160 cv. Ele é o único dos dois motores do Volt a ter contato com as rodas de tração, as dianteiras. Quando a carga de bateria termina, ele é alimentado pelo conjunto gerador-motor a gasolina. Ele vai de 0 a 96 km/h em até 8 segundos e chega 192 km/h.

2) MOTOR A GASOLINA
Se a bateria estiver sem carga, o consumo do motor a gasolina chega a 21 km/l. Mas, como o tanque tem 54,4 litros, a autonomia deste é de até 1 024 quilômetros, mais que o dobro da de um carro comum. Etanol puro, biodiesel, E85 (85% etanol + 15% gasolina) e até célula de hidrogênio poderiam substituir a gasolina.

3) BATERIA
Para a bateria de íon-lítio, basta uma tomada de 110 volts. Com 181 quilos, ela dura dez anos e leva cerca de seis horas para carregar. Assim o Volt pode rodar 64 quilômetros, sem usar o gerador ou o motor a gasolina. Segundo a GM, isso é mais da metade do que os americanos rodam por dia, em média, para ir e voltar do trabalho.

4) CARROCERIA TOMADA DO TEMPO
Para reduzir o peso em até 50% e aumentar a autonomia, a GE usou materiais especiais. Teto e vidros laterais fixos são de resina Lexan GLX. Portas e capô são de Xenoy iQ, composto que reduz emissões de gases e recicla garrafas PET. O revestimento plástico sem halogênio torna os fios e cabos 25% mais leves.

fonte: Quatro Rodas