Emergência ao volante ,o que fazer?

Ao andar com nossos carros no dia-a-dia, podem surgir situações que nunca enfrentamos anteriormente, principalmente ao andarmos em lugares desconhecidos. São situações também que não foram explicadas na auto-escola, sobre o que temos de fazer.

Pois vamos ver aqui algumas emergências que podem acontecer, e o que temos de fazer para evitarmos o pior:

Pneu estourado

Lembre-se de que quando isso acontece, a gente pode levar um baita susto. Não se desespere, apenas segure o volante com bastante força, mantendo-o imóvel, pois o carro vai puxar para um lado ou outro. Se você estiver em uma extremidade da pista, puxe o volante bem levemente mais para o centro, para evitar de bater em objetos ao lado, como um guard-rail, ou proteção da pista.

Não acelere nem freie, apenas deixe o carro ir reduzindo a velocidade sozinho. Conforme você atingir uma velocidade bem pequena para a estrada, como por exemplo, 40 km/h, vá para o acostamento, e ligue o pisca-alerta.

Falha nos freios

Uma falha que faça o carro ficar totalmente descontrolado é a coisa mais rara do mundo, pois os freios de modelos atuais são bem confiáveis, e tem circuito duplo. Mas, vamos dizer que isso aconteça. Você vai perceber, pois o pedal do freio vai ficar super baixo.

Vá reduzindo as marchas. Com vontade. Não tenha dó do motor do carro. Mesmo que você esteja a 100 por hora, botar uma quarta marcha e logo depois uma terceira não vai estragar o motor. Enquanto vai reduzindo as marchas, puxe bem devagar o freio de mão (não por completo) e fique bombeando o pedal do freio, que pode ser que ele volte a funcionar normalmente.

Derrapagem forte

Como a maioria dos carros brasileiros são de tração dianteira, a derrapagem que acontece em uma curva é sempre aquela saída de frente, onde o carro não consegue fazer a curva, por causa de uma velocidade excessiva ou piso escorregadio.

Neste caso, temos que girar o volante para dentro da curva, ao mesmo tempo que se tira o pé do acelerador. Se o carro for de tração traseira, temos que girar o volante para o lado de fora da curva, pois a traseira é que vai se desgarrar, querendo sair da trajetória.

Aquaplanagem

Debaixo de chuvas muito fortes, lugares da estrada que ficam mais baixos costumam acumular bastante água. Se for muita água mesmo, o carro pode aquaplanar, principalmente quando os pneus já estão gastos demais.

Nesta situação, o que temos de fazer é tirar o pé do acelerador, segurar o volante firme e manter o curso. Dentro de pouco tempo o carro vai voltar com contato ao solo.

De repente, o trânsito está parado logo à frente

O ideal é que utilizemos a transparência dos vidros do carro na nossa frente para poder enxergar a pista lá na frente. E fazer isso ao mesmo tempo em que mantemos uma boa distância dele, para não sermos pegos de surpresa.

Mas, se mesmo assim, você se deparar com um carro praticamente parado a uma distância pequena demais, freie com força, mas tomando cuidado para não travar as rodas, no caso da maioria dos carros, que não tem ABS.

Aí, se for preciso desviar a trajetória para não bater, dê preferência para desviar para a direita, indo para o acostamento. E pode desviar enquanto freia, não tem problema.

Pedal do acelerador travado

O pedal do acelerador pode travar por causa de algum problema, ou por enroscar no tapete do carro, se ele for muito fofo ou estiver mal colocado. Em uma situação dessas, pise na embreagem e passe para ponto morto, enquanto freia. Se não for possível tirar a marcha, freie mesmo com o carro acelerado. O freio sempre é mais forte do que a aceleração, e você deverá parar sem perigos maiores.

Fonte:NA