F1 terá duas corridas no deserto

Este ano, serão dois grandes prêmios no deserto. O circuito de Abu Dabi estreia na temporada. E a repórter Mariana Becker está no Bahrein, país pioneiro na velocidade das areias.
Enquanto o árabe faz música em uma tenda no deserto. Um brasileiro que pilota a mais de 300 quilômetros por hora comenta: “Eu gosto de treinar aqui, é uma boa pista, é tranqüilo, um lugar bacana, as pessoas são legais”, diz Felipe Massa.
O suíço Sebastian parece pensar igual. Escolheu o reino do Bahrein para morar.
O arquipélago de 36 ilhas no Golfo Pérsico. A Formula 1 explora o Oriente Médio atraída pelo novo mercado, e pelo clima, quente e seco, apesar da areia. O engenheiro da Ferrari afirma que no país é preciso usar um filtro de ar especial, com uma trama mais fechada, para proteger o motor.
O autódromo de Shakir é o único considerado pela Confederação Internacional de Automobilismo como Centro de Excelência. Mas ele foi construído no meio do da imensidão, 45% do território do Bahrien é deserto.
O diretor do autódromo diz que eles recebem cerca de 450 eventos por ano e estão começando a gostar de Formula 1 por aqui.
A Fórmula 1 ainda não tem um piloto árabe. Mas um integrante da família real corre na F3 inglesa e o herói local sai em capas de revista na GP2 asiática.
Mas de três mil pessoas trabalham no GP de Bahrien. Seiscentas delas são fiscais de pista.
O centro médico é referencia de qualidade, o equivalente a 340 milhões de reais foram gastos na construção dessa estrutura, que conta com suítes, e os salões já foram alugados até para casamentos.
O Bahrein tem um acordo de cooperação, troca de informações com Abu Dabi, emirado árabe, que estreia no mundial.
Um encerramento de temporada que promete ser espetacular. Oásis da velocidade floresce no deserto e traz novas cores ao mundo árabe.
A temporada 2009 da Fórmula 1 começa no dia 29 de março com o Grande Prêmio da Austrália, em Melbourne.