Felipe Massa, sobre cirurgia: ‘É o único fator que me impede de correr agora’

Brasileiro diz que, assim que for liberado pelos médicos, irá para a Europa treinar no simulador da Ferrari e andar de kart, para avaliar se está 100%
Antes de se submeter à cirurgia plástica para reparar o local do crânio onde foi atingido pela mola do carro de Rubens Barrichello no treino para o GP da Hungria, Felipe Massa concedeu uma longa entrevista ao jornal inglês “The Guardian”. Nela, o brasileiro disse que o único fator que o impede de retornar é justamente esta intervenção. Ele colocou uma placa metálica no local, no lado esquerdo do rosto.

– Estou bem. O único problema é que preciso da cirurgia para fechar o buraco no crânio. O osso no local estava completamente danificado. Um cara normal pode viver assim sem nenhum problema. Mas para um piloto, se você tiver um acidente e este problema, a recuperação é mais difícil. A cirurgia é o único fator que me impede de correr agora. Já me sinto o mesmo de antes. Irei para a Europa usar o simulador e pilotar karts. Então saberei bem se estou 100% – diz Massa.
A Ferrari informou, em seu site oficial, que o procedimento foi realizado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, durou cerca de 4h30m e foi bem sucedido. Massa disse que não tem medo e está ansioso para voltar a pilotar. Segundo ele, ficar parado foi a pior coisa que poderia ter acontecido após o acidente.
– É claro, essa é minha vida. Para mim, o pior que aconteceu foi não estar apto a correr. Não poder pilotar é terrível. Mas minha esposa já me perguntou pelo menos umas dez vezes: “Tem certeza que você não está com medo ou dúvidas?” Sempre respondo: “Não, porque é isso que gosto de fazer”. Não serei a mesma pessoa sem pilotar. Desde que eu era pequeno, esta é minha vida. Então, realmente torço e espero que nada mude dentro de mim e possa voltar ao carro e me esforçar ao máximo de novo.
Massa disse também que não hesitou em nenhum momento da recuperação. O brasileiro só viu o acidente pela primeira vez em casa, no Brasil, pela televisão.

– Não. Para a minha família foi muito difícil, porque eles acompanharam tudo e passaram por muitas coisas. Mas para mim não foi tanto. Após o acidente, estava inconsciente e, três dias depois, acordei. Não vi nada do acidente no hospital. Tinham apenas canais de TV húngaros. Só ouvi que eles falavam de mim. E, para mim, isso foi estranho: será que uma mola vinda de outro carro poderia fazer isso em um osso da minha cabeça. Vi pela primeira vez quando voltei para casa, na televisão, exatamente como você.
Após ver o acidente, o brasileiro disse que outras batidas suas na Fórmula 1 causaram mais dores de cabeça. E Massa contou que sua esposa, Raffaela, perguntou muito sobre suas intenções de retorno ao cockpit da Ferrari.

– Mas tive outros acidentes que me incomodaram mais. Quando perdi os freios em Mônaco, em 2002, foi um acidente muito forte. E bati duas vezes em Barcelona por problemas de suspensão. Mas o que aconteceu na Hungria foi algo que nunca tinha visto. Então, minha esposa estava apenas fazendo perguntas como: “Você não pensa em, talvez…?” E eu digo: “Não, vou correr de novo”. Minha mãe também me conhece muito bem. Às vezes ela está olhando para mim pensando, mas sabe que não é para perguntar.
Fonte: globo.com