FIA convoca Alonso para reunião do Conselho Mundial nesta segunda-feira

Entidade quer mais esclarecimentos sobre o dia em que a vitória do espanhol foi beneficiada pela batida de Nelsinho Piquet em Cingapura

A participação de Fernando Alonso na investigação sobre o escândalo na Renault ainda não acabou. De acordo com o jornal italiano “Gazzetta dello Sport”, um dia após receber a notícia de que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) aceitou seus argumentos sobre sua inocência no caso, o bicampeão mundial foi intimado a comparecer à reunião do Conselho Mundial de Automobilismo, que julgará, nesta segunda-feira, a possível conspiração para manipulação de resultados no GP de Cingapura de 2008.

Segundo o jornal britânico “The Times”, Alonso foi procurado pela FIA no GP da Bélgica e respondeu que não tinha conhecimento sobre os planos da Renault para o GP de Cingapura. Porém, apesar de convencidos da veracidade das declarações do espanhol, os comissários ainda teriam interesse em saber mais detalhes sobre o dia em que o chefe da equipe francesa, Flavio Briatore, pediu ao brasileiro Nelsinho Piquet que forjasse uma batida para favorecer a vitória do espanhol.

Apesar da assessoria da Renault e da FIA não confirmarem quem estará presente na reunião desta segunda-feira, o “Gazzetta” afirma que Briatore deverá estar no local. No entanto, o ex-chefe de engenharia da equipe francesa, Pat Symonds, também envolvido no caso e desligado da escuderia na última semana, não é esperado, de acordo com a publicação.

A acusação sobre uma possível manipulação da Renault foi feita à FIA pelo pai de Nelsinho, Nelson Piquet, durante o GP da Hungria, quando o filho estava sob ameaça de demissão. Depois disso, a equipe francesa entrou com uma ação judicial contra o brasileiro. Caso o escândalo seja confirmado, a Renault pode ser banida do campeonato e Briatore seria impedido de voltar a trabalhar na Fórmula 1.