Homens pagam até 30% mais caro por seguro de carro

Homens pagam até 30% mais caro por seguro de carro
Mulheres provocam menos acidentes, segundo pesquisa.
Levantamento aponta que homens se envolvem em 80% dos acidentes
As estatísticas comprovam: a maioria dos acidentes de trânsito são provocados por homens, de acordo com levantamento do Sindicato das Corretoras de Seguros do Distrito Federal. Enquanto os homens insistem em chamar as mulheres de “barbeiras”, as companhias de seguro cobram mais caro deles.

O exemplo é um carro popular. Um homem de 30 anos vai pagar um seguro de R$ 2,7 mil. Já a mulher, da mesma idade, vai pagar um seguro de R$ 1,9 mil. A economia é de R$ 800, quase 30% menos que os homens pagam.

Os acidentes que as mulheres se envolvem são, geralmente, pequenos. É um arranhãozinho aqui, um arranhãozinho acolá. Enquanto que um jovem ou outra pessoa do sexo masculino, os acidentes que eles se envolvem são realmente expressivos”, afirma Dorival Alves, presidente do Sindicato das Corretoras de Seguros do Distrito Federal.

O Distrito Federal tem 1,2 milhão motoristas habilitados. Como em todo o mundo, os homens são a maioria: 64%. As mulheres, 36%. Mas quando o assunto é acidentes, a proporção é bem maior: eles estão envolvidos em 80% das colisões.

“A gente tem um número maior de homens habilitados. Em segundo lugar, tem uma relação, sim, com a questão de comportamento, com aceitação de risco maior da parte do sexo masculino, que é um dado cultural, muito provavelmente ligado à socialização”, diz o especialista em trânsito da UnB Victor Pavani.

As mulheres são mais prudentes, mais cautelosas. Todo que o homem não é”, confessa um motorista.