Lamborghini chega ao Brasil com esportivos a partir de R$ 1,5 milhão

Gallardo LP 560-4 teve motor adaptado para gasolina brasileira.
Importadora espera vender 12 unidades do modelo ainda este ano.
Passarela dos consumidores de produtos de luxo, a Avenida Europa, em São Paulo, ganha mais uma famosa marca italiana de carros de alta performance, a Lamborghini. A primeira loja na América Latina foi inaugurada nesta quinta-feira (22) na capital paulista e com ousado objetivo de vender 12 unidades do modelo Galliardo LP 560-4 até o final deste ano, modelo com o nada modesto preço de R$ 1,5 milhão a versão cupê e R$ 1,7 milhão a versão Spyder (conversível). O mais novo negócio da marca no país é resultado da parceria da importadora Via Itália – representante também da Ferrari e da Maserati — com a Automobili Lamborghini S.p.A.
Para 2010, a empresa prevê a chegada do modelo Muciélago LP640, com motor V12. Com o reforço no ainda pequeno mix de produtos, a importadora pretende vender 20 unidades da Lamborghini em 2010. “Decidimos entrar na América Latina por São Paulo porque acreditamos que seja a cidade mais moderna e mais avançada tecnologicamente da região”, afirma o gerente de desenvolvimento internacional da rede Lamborghini, Andrea Piazza. “O Brasil é um mercado extremamente importante, com oportunidade de expansão econômica”, acrescenta.
A ideia de investir no Brasil não é recente, no entanto, a marca italiana esperou que o mercado brasileiro apresentasse crescimento econômico sustentável. “Há algum tempo a empresa queria investir no país, mas a havia priorizado mercados como Estados Unidos e China”, diz o presidente da Via Itália, Francisco Longo.
Outro motivo que retardou a chegada ao mercado nacional foi a adaptação do motor para o combustível brasileiro, que recebe etanol na mistura. Ou seja, a montadora italiana precisou investir na “tropicalização” do propulsor, especificamente na parte eletrônica e na tubulação de combustível — as mangueiras de plástico para respiro da versão original foram corroídas pelo álcool. Em relação à suspensão, a montadora afirma que ela é originalmente adaptável a qualquer tipo de solo, o que inclui as esburacadas ruas paulistanas.
A Lamborghini não divulga quanto investiu na adaptação do motor, mas justifica que é por isso que apenas um modelo é vendido oficialmente no Brasil, por enquanto. Apesar disso, a montadora não descarta a possibilidade de a edição limitada LP 550-2 Valentino Balboni ser vendida no país.
Lamborghini Gallardo LP560-4
Por enquanto, a importadora oficial trará apenas o modelo Gallardo LP 560-4. O número 560 indica a potência do motor V10 de 5.2 litros, com injeção direta, e torque de 55 kgfm a 6.500 rpm.
A força que o modelo traz sob o capô permite que a versão cupê acelere de 0 a 100 km/h em apenas 3,7 segundos e alcance a velocidade máxima de 325 km/h. O Spyder vai de 0 a 100 km/h em 4 segundos e chega a máxima de 324 km/h. Os dois modelos trazem transmissão com câmbio seqüencial de seis velocidade e opção de trocas por meio de borboletas atrás do volante.
Versão cupê alcança a velocidade máxima de 325 km/h
No pacote de série estão inclusos freios ABS, ESP (controle de estabilidade), ASR (controle de tração) e EBD (distribuição eletrônica de freio).
Por fora, a carroceria feita em alumino traz tomadas de ar na lateral bem amplas, semelhantes às da Ferrari F430, e uma saída de ar traseira. Os faróis são de xenônio, com leds nas lanternas traseiras e dianteiras.

No ano que vem, o Muciélago LP640 irá integrar a família Lamborghini no Brasil. O superesportivo, que também traz a potência no nome (640 cv), é equipado com motor 6.5 V12 e torque de absurdos 67,3 kgfm. Uma unidade que estava em exposição já foi vendida no país por R$ 2,2 milhões, em importação independente.
Mercado
De acordo com o presidente do grupo Via Itália, a nova marca do grupo concorrerá “saudavelmente” com as concorrentes Ferrari e Maserati, representadas pelo mesmo grupo. “Tudo será independente”, garante. Segundo ele, foram investidos US$ 2 milhões pelo grupo para a compra de ferramentas, peças de reposição, oficinas e reforma da loja.
Francisco Longo afirma que a importadora aposta no crescimento de 20% do segmento de luxo de carros de alta performance e que o grupo acompanhará tal expansão. “As quatro marcas no segmento – Ferrai, Maserati, Porsche e Lamborghini — devem vender neste ano cerca de 120 unidades. Até agora, a Via Itália já comercializou 55 unidades”, avalia. Nada mal para carros cujos valores estão bem longe da realidade da maioria dos apaixonados por carros.
Fonte: globo.com