Mercado automotivo segue impulsionado pelo CDC mesmo com aumento do IOF

Com a frase, “O crédito nos concessionários tem sido feito pelo CDC¹, com predominância nos bancos que são parceiros de revenda e, em menor escala, no banco utilizado pelo próprio cliente, onde ele já possui normalmente ficha aprovada”, o especialista em varejo, Ayrton Fontes deixa claro que nem mesmo com o aumento do IOF² as operações de Leasing³ não foram estimuladas.
Acrescentou também que a complexidade maior envolvida na operação e muitos obstáculos burocráticos, como por exemplo, o fato de o veículo não ficar no nome do cliente, e dificuldades encontradas para liquidar o financiamento antecipadamente, atrapalham a proliferação do leasing.

Uma pesquisa com 18 grandes concessionárias de São Paulo revelou que, não está ocorrendo uma migração do CDC para o leasing, já que o mesmo não sofre influencia do IOF que saltou de 1,5% para 3%.

As taxas de juros permaneceram praticamente as mesmas, por exemplo, em uma compra em 60 meses, com entrada, possui uma variação de 1,6 a 1,8% ao mês. Já em uma comopra sem entrada a alteração pode ser de 1,8% a 2,5%.

Cerca de 310 mil automóveis comercializados, é a projeção da MSantos mesmo com a queda no movimento causada pelo feriado prolongado. Ayrton ainda menciona que, “Há um grande esforço das montadoras nas vendas a frotistas, para compensar a retração dos consumidores”.

Ajuda ao leitor:
1 – CDC – crédito direto ao consumidor
2 – IOF – imposto sobre operações financeiras
3 – Leasing – arrendamento mercantil

Por Rodolfo Ribeiro Raimundo – Fonte Automotive Business