Participação dos carros 1.0 no mercado é a menor em dez anos

Em 2001, nada menos que 71% dos carros vendidos no Brasil eram 1.0. Tempos tenebrosos aqueles. Ainda bem que as coisas começam a melhorar, e o consumidor começa a ver que um carro 1.4 por exemplo é mil vezes melhor que um 1.0, apresentando um consumo bem parecido.

Agora estamos com 54% dos carros vendidos no Brasil sendo 1.0, um valor parecido ao do ano de 1997, mais ou menos. O 1.0 chegou ao mercado em 1990 como uma boa opção de compra para aqueles que não tinham condições de comprar um carro mais potente. A idéia inicial era oferecer um veículo barato, na faixa de 7.000 dólares. Hoje um 1.0 pelado sai por muito mais, coisa de pelo menos 12.500 dólares.

Se hoje um carro 1.0 já é um exercício de paciência, volte sua mente para uns 10 anos atrás, ou até mais, quando tínhamos “excelentes” motores 1.0 com seus 48, 50 cavalos de potência. Hoje o motor 1.0 foi muito melhorado pela indústria automotiva, passando dos 70 cavalos, e com caixas de câmbio bem mais curtas, favorecendo a aceleração, pelo menos um pouco.

Já que os impostos cobrados nos carros com motores 1.0 a 2.0 diminuiu um pouco, isso ajudou muita gente a sair dos 1.0 e partir para modelos 1.4 ou 1.6, que muitas vezes custam menos do que um 1.0 totalmente equipado.

O presidente da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Jackson Schneider, acha que “ainda é muito cedo para saber se o carro 1.0 está mesmo em queda. Precisamos ter mais tempo para avaliarmos a sua performance de vendas”.

Fonte:Noticias Automotivas