Raikkonen vence na Malásia; Massa abandona

O finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, venceu o Grande Prêmio da Malásia, disputado neste domingo no circuito de Sepang. Depois de largar na segunda colocação, ele assumiu o primeiro lugar na primeira rodada de pit-stops, tomando a ponta de Felipe Massa, seu companheiro de equipe, e caminhou para uma vitória tranqüila.

O trabalho de Raikkonen ainda foi facilitado pelo abandono do brasileiro, que rodou sozinho na volta 31 e ficou com o carro preso na brita. Por enquanto, o brasileiro diz apenas que perdeu a traseira, sem dizer se houve alguma falha no equipamento ou se cometeu um erro de pilotagem.

A corrida também não foi das mais fáceis para o inglês Lewis Hamilton. O piloto da McLaren, que largou em 9º depois de receber uma punição por atrapalhar outros pilotos em sua volta de desaceleração, começou bem a corrida, subindo para a quinta colocação.

Mas, em sua primeira parada de box, a equipe acabou se atrapalhando com a roda dianteira direita e o fez perder quase 20 segundos parado. No fim das contas, Hamilton fechou na quinta posição, marcando 4 pontos que, ao menos, lhe garantiram a liderança da competição.

O pódio teve a presença de duas caras novas. Tanto Robert Kubica, polonês da BMW, como o finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren, estouraram a champagne da cerimônia de premiação pela segunda vez em suas carreiras.

Kubica fez uma corrida sólida, assumindo o terceiro lugar no início da prova e jamais foi ameaçado e herdou o segundo lugar com o abandono de Massa. Já Kovalainen, que também foi punido e caiu do terceiro para o oitavo lugar no grid, subiu para o sétimo lugar na largada e foi ganhando posições gradativamente, sempre sendo um dos útimos a executar o trabalho de troca de pneus e reabastecimento, tanto na primeira quanto na segunda rodada de paradas.

A zona de pontos foi completada por Jarno Trulli (4º, Toyota), Lewis Hamilton (5º, McLaren), Nick Heidfeld (6º, BMW), Mark Webber (7º, Red Bull) e Fernando Alonso (8º, Renault).

Nelsinho Piquet, com o segundo carro da Renault, foi o 11º, enquanto Rubens Barrichello levou seu Honda ao 13º posto.

Fonte:Quatro Rodas