Renault acompanha Ferrari e diz que pode deixar a F-1 em 2010

A Renault decidiu nesta quarta-feira endossar o protesto da Ferrari e afirmou que também deixará a Fórmula 1 caso o teto orçamentário programado para a temporada 2010 seja aprovado. A decisão foi anunciada nesta manhã pelo chefe da escuderia, Flávio Briatore.

“Se as decisões anunciadas pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) no Conselho Mundial de 29 de abril não forem revisadas, não temos escolha. Teremos que deixar o campeonato mundial ao final da temporada de 2009”, disse o dirigente por meio de nota.

A Ferrari, após reunião na sede da escuderia em Maranello, na Itália, na última terça-feira, adotou posição idêntica. “Nosso conselho considera que, se este será o futuro quadro da F-1, nada justifica a continuidade da presença da Ferrari no Campeonato Mundial, o que acontece há 60 anos, sendo o único fabricante a ter participado continuamente da categoria desde sua criação”, afirmou a equipe também em um comunicado.

Pela proposta de Max Mosley, presidente da FIA, as equipes que não ultrapassassem o limite de investimentos de 45 milhões de euros teriam vantagens no regulamento técnico da F-1. A intenção seria permitir que os carros dessas equipes não tivessem limitação no motor, no número de testes e nas especificações dadas para os programas feitos no túnel de vento.

Além da Ferrari e Renault, Toyota, Red Bull e Toro Rosso também já falaram em deixar a categoria no ano que vem por conta das novas regulamentações sugeridas pela FIA. Já as equipes da Force India, Williams e Brawn GP indicaram que não aprovam as regras impostas pela entidade internacional, mas que não teriam como se sustentarem sem o teto orçamentário.

Fonte: Uol