Turbo elétrico promete reduzir as emissões de CO2 nos automóveis!

O produto utiliza a eletricidade para mover a turbina ao invés da tradicional correia. O sistema permite gerar a mesma potencia de um compressor normal, mas com maior economia de combustível e uma grande redução de poluentes.

Como não rouba potencia do motor, fazendo-o gastar mais combustível, a turbina elétrica economiza esse consumo adicional de combustível. Gastando menos, o motor também emite menos CO2 na atmosfera.

A CPT criou o sistema em parceria com a AVL, que garantem que as emissões de CO2 de um motor a gasolina são mais baixas do que em um motor a diesel! Para exemplificar, a AVL usou um motor 2.0 litros com injeção direta, gerando 197 cv e 295 nm.

Curiosamente é o mesmo motor que a Chery pretendia lançar no futuro, já que a Acteco foi criada com base na tecnologia comprada da AVL. Mas, no caso da turbina elétrica, o propulsor foi colocado em um Volkswagen Passat.

Utilizando o sistema VTES que varia o torque da turbina, o Passat conseguiu emitir apenas 159 g/km de CO2. Para efeito de comparação, a versão TDi com 167 cv a diesel emite 165 g/km!

Se comparado ao Passat TFSi 2.0 com os mesmos 197 cv, a emissão de CO2 fica em altos 194 g/km. A versatilidade da nova turbina elétrica faz com que possa ser usada mesmo em motores já turbinados movidos à diesel ou gasolina.

Como é movida por energia elétrica, a turbina da CPT/AVL pode ser colocada em qualquer posição, permitindo um maior aproveitamento do espaço no cofre do motor, principalmente em modelos híbridos.

A CPT revelou que o produto já está disponível para produção e utilização, mas até agora nenhuma montadora se interessou pelo sistema. Mesma potencia, mais economia e menor poluição, garantem uma boa posição em muitos mercados.

Fonte:NA