GM anuncia recall de 1,5 milhão de veículos em vários países

A General Motors vai fazer o recall de 1,5 milhão de veículos modelo 2006-2009 nos Estados Unidos, Canadá e México por causa de risco de incêndio no sistema de aquecimento do fluido do limpador de para-brisas.

A montadora vai remover o sistema de aquecimento, que não poderá ser substituído porque não é mais produzido pela empresa. Como compensação, vai pagar a cada consumidor US$ 100, segundo o diretor de segurança da GM, Jeff Boyer. O sistema serve para limpar gelo e neve nos para-brisas de veículos de grande porte. O recall envolve cinco modelos Chevy, cinco Cadillac, dois Buick, quatro GMC, um Hummer e um Saturn.

O procedimento vai atingir 1,365 milhão de veículos nos Estados Unidos, cerca de 98.800 no Canadá e 64 mil no México e em outras localidades. O sistema de aquecimento já tinha sido alvo de recall em agosto de 2008 por causa de curto-circuito. Um fusível foi instalado na ocasião para revolver o problema. Em junho de 2009, uma nova falha foi descoberta. Desde essa época, a empresa foi notificada de cinco ocorrências em que o sistema pegou fogo.

Planos prejudicados. A GM espera para hoje a decisão do governo da Alemanha sobre o pedido de 1,1 bilhão em ajuda estatal feito pela montadora. Mas o governo deve seguir a recomendação feita por um conselho diretivo e rejeitar o pedido, o que deve prejudicar os planos de recuperação da empresa na região. De acordo com a recomendação do conselho, o pedido da GM “não atende aos requerimentos necessários” para o apoio estatal.

“A General Motors possui recursos financeiros suficientes para financiar a reestruturação de sua divisão europeia por si só”, diz o documento. “Depois do pagamento integral dos empréstimos dos governos dos EUA e do Canadá, a liquidez livre da GM é estimada em cerca de 10 bilhões”, completa. Em 2009, a fabricante recebeu bilhões de dólares dos governos norte-americano e canadense, depois de pedir concordata diante de prejuízos crescentes.

O financiamento necessário para a montadora na Europa é de 3,7 bilhões, dos quais 1,9 bilhão seriam providos pela própria GM. A companhia também pediu ajuda de outros países europeus onde tem operações. A empresa planeja reduzir sua capacidade de produção na Europa em 20%, como parte de seu último esforço de recuperação.

Fonte: Site Estradas.