Carros fabricados na Argentina e vendidos no Brasil

Desde 1994, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai possuem um tratado de livre comercio, o Mercosul. Brasil e Argentina se destacam por serem os mais atuantes parceiros do grupo, e um bom exemplo dessa parceria é o setor automobilístico.

Atualmente, a Argentina é um dos países que mais exporta carros para o Brasil. Muitas montadoras, mesmo com fabricas no Brasil, aderem às montagens na vizinha argentina por se tratar de sites com menor custo, menores taxações de impostos, ao contrário do Brasil com altos impostos e mão de obra mais cara.

EM 2013, as montadoras situadas na Argentina exportaram quase 350 mil veículos, mostrando um crescimento de 5% nesse tipo de ação do setor em relação ao ano anterior, 2012. Essas informações são da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa).

Mesmo com a crise na vizinha Argentina, o Brasil não recuou. Pelo contrário, até cedeu privilégios em acordos automotivos. O novo acordo apresenta uma compensação de importação e exportação, ou seja, para cada dólar importado, o Brasil tem o direito de exportar 1,5 dólar para a Argentina, arranjo que recebeu o nome de regime flex. O objetivo do regime é equilibrar as finanças. O que pode parecer desfavorável para a Argentina, na verdade ajuda a manter as transações comerciais, já que ultimamente a forte desvalorização do peso está colocando cada vez mais em dúvida a força da economia argentina. Nos últimos meses a crise no pais tem se agravado com a disparada da inflação e redução considerável das reservas internacionais.

A forte desvalorização do peso nos últimos dias levantou ainda mais dúvidas sobre a situação econômica da Argentina, que tem se agravado nos últimos meses com a disparada da inflação e a redução drástica das reservas internacionais.

Chevrolet Agile: o mais importado dos hermanos em 2013

Mas nem só de acordos comerciais vivem as transações internacionais. A concorrência entre as montadoras é acirrada. Em 2013, o modelo mais importado foi o Agile, da Chevrolet, com mais de 30 mil unidades. Já nos primeiros meses de 2014, a liderança está com a Ranger, da Ford.

Imagens: divulgação

1 comentário sobre “Carros fabricados na Argentina e vendidos no Brasil”

  1. O único porém da fabricação de carros na Argentina, quando chegam no Brasil é o custo de peças. Um bom exemplo eu menciono aqui é quando o motor está com problemas e não existe peça de reposição aqui, somente lá. Dai eleva-se o custo devido a importação. Até entendo que a GM, por conta dos altos custos tributários existentes em nosso país eleve os preços, mas acredito que seria melhor eles (GM), comercializar seus veículos na Argentina do que trazer para ca !

Deixe uma resposta