Como funciona o Leasing de carros nos Estados Unidos?

Por aqui ele conta com muitas regras que dificulta a venda do mesmo por parte de gerentes de instituições bancárias. Nos Estados Unidos, o leasing passa bem longe de ser uma coisa rara. Porém, para entender como esse meio funciona, é necessário explicar o segmento de automóveis na terra do Tio Sam.

Como os carros em terras americanas possuem preços bem menores comparados aos do Brasil, a desvalorização de um automóvel novo, quando o mesmo sai da concessionária, também é maior.

Um modelo com o custo aproximado em US$ 20 mil, por exemplo, tende a ter uma depreciação de 30% em seu 1° ano.  Com isso, o seu valor fica em US$ 14 mil, o que dá 70% do seu preço primário.

Em seu 2° ano, esse mesmo carro já conta com uma depreciação de mais 17%, ficando 53% do seu custo original (US$ 10.600). No 3° ano é mais 8% de depreciação que, com seu valor original em 45%, o preço já cai para US$ 9 mil.

Depois de 5 anos que o carro está rodando, o seu valor de concessionária caiu para 34%. Se usarmos o mesmo exemplo com o valor citado primeiramente, ele teria agora um custo de US$ 6.800 nos EUA.

O mercado americano conta com alguns modelos, como é o caso dos japoneses e alguns europeus, que apresentam a depreciação menor. Outros, como veículos americanos e coreanos, a depreciação é mais elevada.

O Leasing tem com sua base o quanto o carro está depreciado em seu mercado. Nos Estados Unidos, quem utiliza o Leasing pagará a porcentagem da depreciação do modelo adquirido durante o contrato.

Caso a pessoa faça a compra de um carro no valor citado acima (US$ 20 mil), com ele já rodado por 2 anos, a pessoa paga 47% do seu preço original. Ou seja, o valor fica em US$ 9.400, acrescido de juros, os quais deverão ser divididos por um total de 24 meses.

Quando se passa o período de 24 meses, a pessoa que fez o contrato poderá comprar esse veículo com o pagamento do restante do valor, que seria no caso de US$ 10.600, ou então, contratar um novo financiamento Leasing de um modelo zero, o que é o mais comum por lá.

Dessa maneira, o Leasing nos Estados Unidos é tratado como um aluguel. A pessoa faz o pagamento de um valor mensal e troca o seu modelo de automóvel num período de 2 a 3 anos.

O contrato desse tipo de financiamento pode ser de até 60 meses. Porém, não se aconselha a permanecer com um mesmo veículo por esse período de tempo, com exceção se o mesmo contar com uma garantia pelo mesmo período da contratação.

Os americanos sempre são aconselhados a escolher um veículo que conte com uma depreciação no mercado reduzida. Isso se deve ao fato de que, quanto menor a depreciação do seu modelo, você vai efetuar uma prestação mais acessível ao mês.

Nos EUA, as pessoas contam com um Credit Score, que nada mais é que uma linha de crédito, que uns tem mais e outros menos. Aqueles com uma linha mais alta de crédito podem encontrar boas promoções de financiamento Leasing, com modelos Lexus, por exemplo, com juros perto de 0% ao ano, as quais são oferecidas pelas montadoras dos carros.

A parte ruim do Leasing é que a maioria das concessionárias e as agências financeiras têm como requerimento para fazer o contrato que a pessoa possua o Social Security Number (SSN). Isso deixa de lado todos os imigrantes ilegais, o que é normal, ou aqueles que contam com apenas o visto de turista em território norte-americano. Também é praxe obrigar o consumidor a contratar um seguro do carro, para diminuir o risco de perda do patrimônio pela concessionária, além do limite de quilometragem por ano estabelecido, normalmente de 10.000 a 12.000 milhas. E é bom manter o carro bem conservado, pois qualquer dano costuma ser cobrado na devolução.

Mesmo as pessoas que contam com o Social Security Number, o bom é que você também tenha um Credit Score razoável, ou vai ter a sua prestação com juros mais elevados. O Leasing no Brasil seria uma boa pedida, mas hoje em dia é praticamente inexistente e inoperante.

Mas afinal, quanto custa?

Pelo fato de não se pagar o carro inteiro, as prestações do leasing são muito baixas. Por exemplo, na concessionária Toyota de Kendall, na Grande Miami, pode-se encontrar Toyota Corolla em 36 prestações de US$ 79.00 por mês com perto de 5 mil dólares de entrada, mais taxas:

Para quem quer mais luxo, é possível fazer leasing de uma bela Infiniti QX60 por US$ 499.00 por mês sem entrada, mais taxas, na South Motors:

Deixe uma resposta