O que é Injeção Eletrônica?

Parte essencial do motor, a injeção eletrônica é uma invenção relativamente nova, datando de 1912. Mais recente ainda se considerarmos o surgimento da injeção eletrônica multiponto, em 1997, que representou uma verdadeira revolução, permitindo maior controle da injeção de combustível no motor.

Ter noções de mecânica é indispensável se você é motorista. Por isso vamos apresentar neste texto o que é, como funciona e para que serve o sistema de injeção eletrônica.

Afinal, o que é injeção eletrônica?

A injeção eletrônica é um sistema de alimentação de combustível e gerenciamento eletrônico de um motor a explosão. Ou seja, é o sistema responsável pelo controle da mistura entre ar e combustível que faz o motor do carro funcionar. Há poucos anos essa função era exercida pelo carburador. Entretanto, como o controle era feito mecanicamente, o controle sobre a mistura era bem menor, fazendo com que ela não fosse homogênea.

Como funciona a injeção eletrônica?

Composta por sensores, atuadores e uma central de informações, a injeção eletrônica é mais fácil de compreender do que parece. Basicamente, os sensores – que são vários, como de pressão, temperatura e velocidade – analisam o funcionamento do motor.

Essas informações são repassadas para a central de informações, que gerencia os atuadores. Os atuadores – que também são variados, como injetores, bobinas e bomba de combustível -, por sua vez, são responsáveis pela alimentação e queima do combustível no motor.

Nos carros com motor flex, a central de informações identifica qual combustível está no tanque ou qual é a melhor proporção de combustíveis a ser usada.

Para que serve a injeção eletrônica?

A resposta curta é: para controlar a mistura entre ar e combustível no motor. Entretanto, realizando essa tarefa, a injeção eletrônica alcança muitos outros objetivos. Citamos aqui alguns:

A resposta curta é: para controlar a mistura entre ar e combustível no motor. Entretanto, realizando essa tarefa, a injeção eletrônica alcança muitos outros objetivos. Citamos aqui alguns:

  • Melhor rendimento do motor;
  • Consumo mais eficiente;
  • Economia de combustível;
  • Controle da marcha lenta;
  • Melhor tempo de ignição;
  • Partida mais rápida – ao contrário dos carros com motores carburados, não há dificuldade para dar a partida em dias frios, por exemplo;
  • Redução na emissão de gases.

Recomendações sobre a injeção eletrônica

A injeção eletrônica é uma parte bastante durável do carro, mas, mesmo assim, necessita de manutenção e cuidados. O recomendável é que você realize uma inspeção a cada 40 mil quilômetros rodados. Caso seja necessário, limpe os bicos da injeção eletrônica, pois a sujeira pode acabar entupindo o sistema.

Gostou do artigo? Para ficar ainda mais por dentro do mundo dos carros e da mecânica, continue navegando pelo nosso blog.

Deixe uma resposta