Skip to main content
Home » No SóCarrão » Dr. SóCarrão » Conheça a transmissão planetária, precursora do câmbio automático

Conheça a transmissão planetária, precursora do câmbio automático

A caixa de transmissão planetária, dizem alguns, foi uma das precursoras da transmissão automática, por suas semelhanças mecânicas. Foi muito usada no começo do século XX, sendo o tipo de transmissão empregada no Ford T. Mas o fato é que este veículo funcionava de uma maneira muito diferente dos atuais.

Havia três pedais como nos de hoje, mas eles eram: embreagem, ré e freio. A alavanca ao lado não era de câmbio, mas de freio de mão. E o acelerador era no volante. Parece fácil? É que você não viu a posição em que tinha que deixar a chave de ignição, para usar o imã e não gastar a bateria… definitivamente não era como dirigir um automático de hoje.

A caixa de transmissão planetária consiste num conjunto de peças internas distintas e concomitantes de um automóvel sem as quais não haveria mudanças de marcha e sequer a aceleração da velocidade. Esse componente é composto por três partes importantes: a engrenagem anelar, a engrenagem solar e as engrenagens planetárias.

Das três partes, a primeira parte será claramente vista e, como o próprio nome ajuda na descrição, tem o formato de anel, todavia, com dentes internos, para o rolamento preciso e eficaz das outras peças em seu compartimento. Posteriormente haverá uma descrição resumida a respeito delas.

No centro da caixa está localizada a engrenagem solar, propositalmente cercada e articulada com as engrenagens planetárias, todas as mencionadas nesse parágrafo funcionando encaixadas a um eixo e possuem dentes precisamente iguais. Como o nome sugere, ao acionar a parte mecânica veicular, essa fará com que as demais peças girem em volta dela.

Qual a diferença entre a engrenagem solar e as engrenagens planetárias?

A engrenagem solar é a menor peça e será encontrada no centro do câmbio, forçando as demais peças pertinentes ao eixo (ou eixos) a trabalharem juntamente com ela, ação que se assemelha ao funcionamento de uma orquestra ou do sistema solar, entretanto, em atividade mecânica.

As engrenagens planetárias, porém, giram  conforme a velocidade do movimento rotatório dessa engrenagem, facilitando, assim, o cálculo da relação de transmissão. O resultado surgirá mediante a contagem dos dentes de determinada seção.  Porém, se os eixos forem múltiplos, começa-se a buscar as variadas unidades de câmbio para contar.

No vídeo abaixo, o funcionamento das engrenagens:

No vídeo abaixo (em inglês), a operação do carro é mostrada a partir de 13:40:

Foto do alto de José María Pérez Nuñes

Compartilhar