Skip to main content
Home » No SóCarrão » Dr. SóCarrão » “Carro nos trinques”

“Carro nos trinques”

Saiba qual a diferença entre polimento, cristalização e enceramento, e o que é melhor para o seu veículo.

Carro limpo e bem cuidado dá gosto de ser ver não é verdade? Ainda mais se esse for o seu. Com uma infinidade de produtos e serviços disponíveis no mercado fica mais fácil deixa-lo brilhando e com técnicas profissionais, melhor ainda. Certamente você já deve ter ouvido falar em polimento, cristalização e é claro, enceramento. Mas qual a diferença e por qual optar?

O diretor geral da Rede Sato Funilaria Express, Pedro Hiroshi Sato, explica que tanto a cristalização quanto polimento e espelhamento são processos parecidos que eliminam riscos e dão brilho à pintura, mas alguns detalhes divergem. “A diferença está no produto e acabamento final (última etapa de polimento), onde cada um utiliza componentes com mais ou menos durabilidade”, afirma.

Outro ponto importante antes de fazer aplicação de produtos é importante pesquisar bem para não acabar levando “gato por lebre”.  “A empresa que executará o serviço deverá trabalhar com produtos de boa qualidade e dar bom resultado, já que envolve várias questões técnicas”, explica.

Além disso, o profissional explica que dependendo do estado da pintura do veículo haverá um tipo de serviço que mais se adeque. Entenda as diferenças dos procedimentos e retire suas dúvidas.

Espelhamento/ Cristalização:

Para dar mais eficácia à técnica o ideal é que esse tipo de serviço seja realizado assim que o carro sair da loja, principalmente se for zero quilômetro. Esse processo também é indicado para quem possui um veículo que não tenha recebido reparos recentes, ou seja, em menos de um ano. Se a opção for pelo espelhamento, evite aplicar em seu carro nesse caso, pois podem aparecer bolhas na pintura do carro.

Espelhamento deve ser evitado em veículos com reparos na lataria com menos de um ano. Crédito da Imagem: Divulgação.
Espelhamento deve ser evitado em veículos com reparos na lataria com menos de um ano. Crédito da Imagem: Divulgação.

O processo de aplicação consiste em limpeza, análise de necessidade de lixamento e lixamento (se for o caso), e aplicação da massa polidora. Depois desse processo é aplicada uma cera especial que permite a retirada de pequenos riscos, como aqueles do “lava car”, por exemplo. Aí entra um lustrador que dará a reparação, renovando a pintura e deixando as cores mais vivas, seguido do teflon (que protege dos raios solares) e do aquecimento da lataria do veículo, que consequentemente irá fixar o produto e dar aquele brilho intenso tão desejado.

“O mais recomendado é o Espelhamento de Pintura 3M onde a durabilidade é de até 12 meses desde que feito manutenções periódicas a cada 3 meses”, explica Sato. O valor deste serviço é de R$300.

Polimento:

O polimento é indicado para quem está com o carro com a pintura machada, seja por uso de produtos, árvores ou queimadura de sol. Serve também para devolver “vida” a peças que passaram por repintura e acabaram ficando foscas. O processo consiste na utilização de massas abrasivas e politrizes com giros bem rápidos por minuto (em torno de duas mil rotações por minuto).

Caso haja necessidade, o profissional pode usar uma lixa d’água para retirar possíveis resíduos que insistam em não sair. Esse processo jamais deve ser feito por quem não entende do assunto, justamente pelo fato de que se feito por frações a mais de tempo do que o necessário, a abrasão pode acabar por retirar a tinta e o verniz da lataria, coisa que ninguém quer que aconteça.

Por ser muito abrasivo, polimento só é recomendado por até três vezes no veículo. Crédito da Imagem: Divulgação.
Por ser muito abrasivo, polimento só é recomendado por até três vezes no veículo. Crédito da Imagem: Divulgação.

Se o seu veículo for de cores escuras o cuidado na escolha dos produtos e profissionais deve ser redobrada, até por que não é novidade que o preto, por exemplo, revela mais imperfeições no trabalho. Outra dica é que não se façam mais que três polimentos durante a “existência” do carro. O valor médio deste serviço é de aproximadamente R$150.

Enceramento:

Das técnicas citadas a mais barata e eficaz para quem quer cuidar da pintura, mas não pode gastar muito é o enceramento. “Se o veículo estiver com a pintura em bom estado, uma sugestão seria pelo menos a cada três meses se aplique cera de boa qualidade para manter uma película de proteção”, explica o diretor da Sato Express.

Ceras dão proteção à pintura. Cuidado deve ser tomado com produtos muito baratos. Crédito da Imagem: Divulgação.
Ceras dão proteção à pintura. Cuidado deve ser tomado com produtos muito baratos. Crédito da Imagem: Divulgação.

 

Para o uso de ceras não há muitas restrições, exceto passar em superfícies como para-choques e frisos. O ideal é não comprar produtos muito baratos sob o risco de manchar a lataria, além de proteger pouco.

Compartilhar