Skip to main content
Home » No SóCarrão » História e Nostalgia » Caravan: “o carro que cabe de tudo”

Caravan: “o carro que cabe de tudo”

Inspirado no Opala e em um modelo lançado na Europa, a Caravan marcou época por sua versatilidade e conforto. 

 

Ela já serviu de carro de polícia, já levou muito doente ao hospital, serviu de taxi, carro fúnebre, e é claro, o bom carro de passeio para a família. Só poderíamos estar falando da Caravan, a Perua inspirada no Opala, outro ícone lançado pela Chevrolet. Foi em 1975 que os primeiros modelos saíram do “forno” e de tão bom, em 76 foi eleito o do ano pela Revista Autoesporte. Mas não pense que o modelo era novidade para o mundo.

Na Europa, as famílias já desfilavam pelas ruas com uma antecessora, a qual inspirou o Opala e consequentemente as Caravans. Por lá, a Opel (braço da GM) já fabricava o Rekord C que durou de 1967 a 1971 e tinha linhas bem parecidas com a dos veículos que mais tarde passaram a circular por aqui. O carro europeu vinha com quatro opções de carroceria, com opções de duas ou quatro portas, uma com a possibilidade de remover a capota e a Station Wagon.

Propaganda Original do carro. Crédito da Imagem: Divulgação.
Propaganda Original do carro. Crédito da Imagem: Divulgação.

Por aqui a versão wagon chegou com duas opções de motorização (2500 e 4100), de quatro ou seis cilindros, inovando nesta questão já que a concorrência produzia veículos com mecânica mais “engessada” e que acabavam por limitar o consumidor que muitas vezes ficava “sem opções”. A diferença do modelo brasileiro para os da Europa eram as portas: por lá vinham com até cinco e por aqui, somente três. Até tivemos versões com cinco, mas foram limitadíssimas e hoje são mais que raridade.

Mas voltando ao assunto, com o passar dos anos e o aumento da tecnologia, o carro foi ganhando mais detalhes e proporcionando mais conforto aos ocupantes. Chegaram ao mercado também versões diferentes e até mesmo uma mais invocada, a SS (em 1978) – que por sua vez vinha com câmbio de três marchas com alavanca na coluna, ou a automática para quem curtia o estilo mais sofisticado de direção -.

 

Como forma de atrair novamente os olhos e o coração dos consumidores – que no momento estavam centrados na Quantum – a Chevrolet lançou em 1989 a Caravan Diplomata SE, mais luxuosa e moderna. Neste mesmo ano as versões com pintura saia-e-blusa foram retiradas de linha. A quinta marcha do carro só chegou na década de 90, mais precisamente em 1991, um ano antes de todos os modelos serem retirados de linha. Em 92, tanto o Opala quanto a saudosa Perua que havia ganhado a série especial Collectors saíram de cena e deixaram muitas saudades ao admiradores de ambos os automóveis.

Compartilhar