Chrysler Turbine – rodava com tequila e Chanel nº 5

Chrysler Turbine: qual poderia ser a a relação entre tequila, perfume, carros e turbinas? Você acreditaria se alguém dissesse que um carro poderia ter como combustível tequila ou talvez algo como perfume francês?

Provavelemente não, mas acredite, essa mistura incomum é possível, ao menos quando tratamos de carros muito especiais, como o Chrysler Turbine, um exótico veículo fabricado no longínquo ano de 1963, dotado de um motor de de 45.000 rotações por minuto e sobrevivente da chamada “Jet Age” ou em bom português Era do Jato.

Essa era ficou conhecida assim porque absolutamente tudo o quanto era feito tinha como tema os jatos, inclusive eletrodomésticos. Naturalmente, os automóveis não ficaram de fora, começando pela série dos Cadillac ainda em 1959 e se espalhando como tendência por quase uma década nos modelos de carros americanos, até por fim surgirem os fantásticos carros a jato, dos quais o Chrysler Turbine é um incrível representante.

Pouco mais de 60 Turbines foram fabricados, a maioria deles destruídos pela própria Chrysler, que decidiu não revender os veículos para o grande público. Só sobraram 11. Um deles, exposto no festival anual de carros conhecido como Rodeo Drive Concours d’Elegance em Beverly Hills no ano de 2013, é a raridade pertencente ao sortudo Jay Leno que fez sucesso, o que garantiu uma entrevista em vídeo ao site USA TODAY ( você pode ver a entrevista clicando no seguinte endereço aqui).

Durante a entrevista, Leno explicou que ficou bastante feliz em realizar seu sonho de ver um carro da Jet Age rodando pelas ruas, pois eles, afirma, são incríveis como bem testemunharam pesquisadores franceses e mexicanos ao alimentar a turbina do Chrysler Turbine com perfume e tequila respectivamente. Basicamente, qualquer coisa inflamável servia de combustível para o carro.

O colecionador ainda explicou que apesar de carros com turbinas nunca terem se tornado populares, graças ao alto consumo de combustível, o Chrysler Turbine é um show à parte, pois é reconhecido em todos os lugares por onde passa, principalmente por motoristas com mais tempo de estrada. Sendo assim, diante de um fato tão interessante, a única coisa que não podemos duvidar é que carros, turbinas, tequila e perfume francês tem mais em comum do que podemos em primeiro momento vir a pensar, ao menos quando falamos do Chrysler Turbine.

Ouça o som dele!

Deixe uma resposta