Saiba como surgiu a transmissão automática nos automóveis

Os estudos para desenvolver o câmbio automático foram iniciados na década de 20. Nesta época ainda não estava estruturado um sistema padronizado e universal da transmissão para os veículos. Um exemplo disto, consistiu no Modelo T, o qual utilizava um câmbio diferente dos modelos atuais, com transmissão planetária.

Naquele período era notável a dificuldade na mudança de marchas, devido às caixas do sistema de transmissão não estarem sincronizadas. Devido a isto, diversas indústrias, especialmente a General Motors (GM), buscaram aperfeiçoar e desenvolver um câmbio que tivesse uma maior eficiência e praticidade.

Seguindo esta linha, no final dos anos 1920, a General Motors inventou o câmbio Synchromesh, o qual ainda não tinha funcionamento automático. Ele foi apresentado no Cadillac no ano de 1928 e ficou no mercado até 1932. Esta transmissão era um estilo de “caixa sincronizada”, a qual possibilitava a mudança de marchas sem a sucessão do conhecido “arranhar”, que dificultava a troca de velocidades. Este desenvolvimento solucionou parcialmente a questão. Assim, os estudos continuaram sendo realizados, no intuito de alcançarem uma transmissão que fosse inteiramente automática.

Com o passar dos anos, a transmissão continuou passando por modificações, de modo que foi apresentada sem o pedal de embreagem, sendo incluso na linha Cadillac, que era considerado um carro de luxo da General Motors. Nesta mesma época ela foi utilizada nos carros militares durante a guerra e isto serviu como um teste para melhorar a eficiência deste câmbio, que ficou conhecido como Hydra-Matic, tendo significado de Hidramático (transmissão automática). Mesmo assim, a GM optou por oferecer o câmbio hidramático na linha Oldsmobile de 1940, e não na Cadillac. As razões disso eram duas: a linha Oldsmobile vendia mais carros que a Cadillac, proporcionando uma maior base de testes; e a Cadillac era uma divisão de prestígio do conglomerado, que não poderia ter sua imagem arranhada caso algo saísse errado.

Ainda em 1940 a Chrysler realizou o lançamento de uma transmissão similar no Crown Imperial como topo de linha, que logo foi adotado em toda a linha, o “Fluid Drive”. Esta transmissão tinha um pedal de embreagem e a alavanca de trocas, mas mesmo assim funcionava automaticamente. Este modelo de transmissão não necessitava da utlização da embreagem nas paradas ou arranques do veículo, pois já existia um conversor de torque. Somente era utilizada a embreagem no manuseio da alavanca de marchas, para ser acionada a ré ou mesmo modificar a posição de marcha.

Um Oldsmobile 1940. Foto de John Lloyd

Foto do manual do Oldsmobile com instruções para usar a transmissão hidramática

Deixe uma resposta