História da Fórmula 1: Das corridas de rua para as pistas

A história da Fórmula 1 tem mais de 50 anos, sendo resultado de muitas mudanças no estilo das corridas.

As corridas do Grande Prêmio (Grand Prix) tem suas raízes nas corridas de automóveis organizadas na França em 1894. Rapidamente, elas evoluíram de simples competições em trajetórias de uma cidade à outra, para provas de resistência para automóveis e pilotos. Ainda no comecinho do século XX, as velocidades já passavam de 100km/h, o que tornava frequentes os acidentes que acabavam em fatalidades de pilotos e também dos expectadores, principalmente pelo fato de serem realizadas em vias abertas.

Em 1900 aconteceu um evento que foi um marco nas corridas, James Gordon Bennet Jr, proprietário do Jornal New York Herald e também dono do International Herald Tribune, estabeleceu a Copa Gordon Bennet de Corridas de Automóveis em Paris. Esta competição começou a ser realizada anualmente, chamando a atenção de competidores internacionais. Cada país podia inscrever até três carros.

Em 1906, aconteceu a primeira corrida denominada Grande Prêmio, esta foi organizada pelo Clube do Automóvel da França. O circuito estava localizado em Le Mans e constava de 105 quilômetros. Durante um bom tempo, essas corridas foram realizadas informalmente.

A Itália foi o primeiro país a usar o nome Grand Prix, no circuido de Monza, mas ainda não se falava em constituir um evento formal. Assim, os países começaram a adotar uma variedade de regras para diversas corridas realizadas.

Ao longo da Primeira Guerra Mundial, uma “fórmula” começando a cumprir regras apareceu. Estas eram baseadas nos tamanhos de motores e peso. Em 1924 surge a Associação Internacional de Clubes de Automóveis Reconhecidos, foi formada uma Comissão Desportiva Internacional e esta foi autorizada a regular os Grandes Prêmios e outras competições internacionais.

Muitas marcas de automóveis e nomes individuais surgiram no período anterior à Segunda Guerra (Alfa Romeo, Ettore Bugatti, Enzo Ferrari, Vitorio Jano, Harry A.Miller, Ferdinand Porsche, entre outros).

Somente em 1933 é que, pela primeira vez na história do automobilismo, a ordem de partida foi decidida pelos tempos de classificação. No ano de 1935 foi realizado o primeiro campeonato europeu para pilotos que consistia nos Grandes Prêmios de vários países. Já em 1939 as corridas seriam interrompidas, devido ao início da Segunda Guerra. Elas foram retomadas em 1946, mas só foram realizadas quatro corridas nesse ano.

No ano de 1947 surge a Federação Internacional de Automobilismo em Paris. Ao finalizar a temporada de 1949 foi anunciado que, para o próximo ano, aconteceria uma corrida que reuniria vários Grandes Prêmios nacionais para criar a Fórmula 1, com um Campeonato Mundial para pilotos. No entanto, por motivos econômicos, nos anos de 1952 e 1953 ainda a competição foi realizada com carros de Fórmula 2.

O Mors de Fernand Gabriel e William Vanderbilt, construído para a Corrida Paris Madrid de 1903. Com 90HP, passava de 140km/h. A quebra de um cilindro impossibilitou o término da corrida

O Peugeot de apenas 3HP, julgado vencedor da prova Paris-Rouen de 1894, pilotado por Albert Lemaitre, obtendo uma velocidade média de 19km/h na prova. O carro a vapor do Conde de Dion chegou em primeiro, lugar que não foi considerado por seu carro necessitar de uma fornalha

Deixe uma resposta