História da Volkswagen Kombi

Muitas histórias ocorreram dentro de uma Kombi e por isso esse é um carro muito amado por brasileiros e pessoas de todo o mundo. Produzida pela Volkswagen aqui entre 1956 até 31 de dezembro de 2013, ano em que um decreto proibiu a fabricação de modelos sem freio ABS e air bag frontal.

Como o modelo não possui estrutura para receber esses itens acabou sendo retirado da linha de produção da montadora alemã, mas nem por isso perdeu seu charme, sendo a primeira van de passageiros e carga a fazer sucesso no mundo. O nome do carro veio do alemão Kombinationsfahrzeug que em uma tradução mais livre significa veículo combinado ou veículo multiuso.

A Kombi começou a ser idealizada na década de 40 quando Bem Pon, um importador holandês, desenhou alguns modelos de carro inéditos. Eles foram baseados em uma perua que seria montada sob a plataforma do fusca, entretanto os primeiros protótipos não tinham uma aerodinâmica muito boa e voltaram para a planilha de produção até encontrar o mais adequado. Isso só foi possível depois que a faculdade técnica de Braunschweig redesenhou um dos protótipos e chegou ao modelo inicial da Kombi.

A partir daí começaram a produzir o carro que tinha uma construção robusta e sem chassi, mas que tinha uma suspensão independente e algumas barras de torção, para dar maior sustentabilidade. Era um veículo simples, mas robusto com um custo de manutenção muito baixo. O que atraiu consumidores de diferentes locais.

O motor inicial era um boxer refrigerado a ar, resistente e simples, com uma durabilidade elevada. Prova disso é que até hoje podemos ver alguns modelos de Kombi com a lataria horrível, mas com o motor ainda bom, mesmo com vários anos de estrada. A Kombi foi usada como veículo de carga, para transporte de passageiros e também serviu como ambulância e até mesmo viatura de polícia, tamanha sua versatilidade.

Volkswagen Kombi

Última Kombi lançada no Brasil

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta