Luxo e muito estilo: Chevrolet Bel Air

Clássico, carro marcou época nos Estados Unidos e virou sucesso no mundo todo.

 

Na década de 50 os carrões se destacavam, principalmente pelas caudas suntuosas e pela riqueza em detalhes. Foi justamente nessa época que a Chevrolet, uma das montadoras pertencentes a General Motors lançou o icônico Bel Air. Bem na verdade, os carros mais luxuosos entre 1950 e 1952 recebiam essa denominação, mas o modelo mesmo nasceu em 1953. Neste mio tempo surgiram outras duas versões mais baratas: 150 e 210. O estilo era praticamente o mesmo, mas o top de linha era o Bel Air. Dois anos após seu lançamento, a montadora decidiu investir em motores V8 para a linha, aproveitando também para dar uma repaginada no carro.

Chevy 150. Crédito da Imagem: Divulgação.
Chevy 150. Crédito da Imagem: Divulgação.
Chevy 210. Crédito da Imagem: Divulgação.
Chevy 210. Crédito da Imagem: Divulgação.

 

Com nova cara, o carro ganhou o apelido de “the hot one”. Quem não tem muita afinidade com carrões antigos muitas vezes pode se confundir na hora de identificar cada modelo, mas uma coisa é certa: este é inconfundível, principalmente se o em questão for original. Em qualquer categoria os Bel Air vinham repletos de acessórios e muitos cromados – sem falar nas calotas cheias de estilo -. Para dar ainda mais destaque ao carro a fabricante investiu em letras douradas como quem dissesse “estou aqui” entre os concorrentes.

Bel Air: clássico e rico em detalhes. Crédito da Imagem: Divulgação.
Bel Air: clássico e rico em detalhes. Crédito da Imagem: Divulgação.

E são justamente esses modelos os mais lembrados e requisitados até hoje apesar do carro não ser mais fabricado há muitos anos. Além da carroceria bem trabalhada, o espaço interno era um dos principais motivos que os apaixonados por carros levavam em consideração na hora de levar um exemplar para suas casas. Para aumentar a “família”, entre 55 e 57 surgiu a versão Station Wagon de duas portas, batizada de Nomad, baseada no Corvette 1954.

Chevrolet Nomad.  Crédito da Imagem: Divulgação.
Chevrolet Nomad. Crédito da Imagem: Divulgação.

O novo redesenho chegou em 1958, deixando o automóvel mais largo, comprido e pesado em relação aos lançados anteriormente. E novamente o Bel Air foi consagrado como “top de linha” da Chevrolet, que também rebatizou as versões 150 e 210 para DelRay e Biscayne, respectivamente.  Neste ano, o design que o carro ganhou conseguiu chamar muito mais atenção que os próprios veículos da mesma montadora incluindo o Oldmobile, Cadillac, Buick e o Pontiac. O toque extra ficou por conta das novas grades, faróis quadrados, lanternas duplas na traseira e a belíssima cauda que é a marca registrada do Bel Air.

Em 58 chegou ao mercado também o Impala com carrocerias Coupé e Conversível, que pertencia a mesma linha, mas com detalhes bem particulares. Não demorou muito para este modelo tomar o gosto dos consumidores para si e as vendas do Bel Air começarem a cair, também pelo fato do carro ter se tornado um tanto mais simplório que o Impala que agora era o “top” do momento. Na década de 60 o Bel Air ganhou nova modificação nas lanternas traseiras, ficando com uma dupla de cada lado – e no Impala eram três em cada lateral -. Fora a quantidade de cromos que no “original” ainda era bem maior.

Impala Coupé. Crédito da Imagem: Divulgação.
Impala Coupé. Crédito da Imagem: Divulgação.

O fim da fabricação do carro foi marcada por uma forte decadência nas vendas no mercado norte-americano, que depois se tornou mundial. Tanto é que nos últimos tempos haviam vários “encalhados” nos pátios das lojas que aos poucos foram sendo esvaziados por frotistas (e poucos exemplares por compradores particulares). Por lá o modelo Biscayne saiu de linha em 1972 e o Bel Air clássico em 75. Somente no Canadá que a produção durou um bocadinho mais, indo até 1981. Apesar de ter sido “extinto” das fábricas há décadas, o Bel Air ainda hoje faz muito sucesso com colecionadores e apreciadores do modelo, sendo bem usado também em eventos e por noivas.

Bel Air 1955 original. Crédito da Imagem: Divulgação.
Bel Air 1955 original. Crédito da Imagem: Divulgação.

 

Na próxima semana no SóCarrão Antigo você vai conhecer a história do GM Buick. Não perca!

 

Deixe uma resposta