Passat: sete gerações que marcaram a história da VW

Com muitas repaginadas, carro foi um dos queridinhos do público de todo o mundo.

 

Fabricado desde 1973, o Passat se consagrou no meio automobilístico como um sedan médio, introduzido bem na época em que o Fusca “ia mal das pernas” com a baixa nas vendas, assim como com modelos que vinham com tração nas rodas traseiras. Para quem não sabe, o Passat foi inspirado na Audi 1980 e foi eleito “O Carro do Ano” pela Revista Autoesporte em 1975 e 1980. Hoje o carro já está em sua sétima geração e acumula histórias mundo afora. Na Europa, por exemplo, o veículo era o queridinho de pessoas com família, justamente pelos itens de série e conforto.

Por lá, um de seus principais oponentes era o Ascona da Opel, mais conhecido por aqui como Monza. Outro fato importante é que o Passat foi muito exportado para o Iraque entre 1983 e 1986, por isso ganhou o apelido de “Passat Iraque” na época. Para entender o que se passou nesses 32 anos de existência do veículo, dividimos esse texto em blocos.

Gerações do Passat:

  • 1ª – 1973 a 1981

No ano que foi lançada já chegou como 1974, com opções de carroceria que vinham com duas a cinco portas (Europa). Como o veículo foi inspirado no Audi 1980, toda a cara foi herdada “do pai”, com a diferença somente nas grades e nos faróis. Aqui no Brasil é que o Passat chegou um pouco diferente, principalmente com relação à carroceria que aqui era “fastback” (nas versões Standard e L) com motores 1.5L. Se na Europa o cliente poderia optar por quantas portas quisesse, aqui a história foi outra, uma vez que a montadora inseriu no Brasil primeiro a versão com duas portas primeiramente, em 1975 a com quatro (modelos LM e LS).

Passat 1973, um dos modelos lançados como 1974. Crédito da Imagem: Divulgação.

Um ano depois, em 1976 a fabricante liberou o TS que vinha equipado com motor 1.6 a carburação (alemão). A versão com cinco portas chegou a ser fabricada em território brasileiro, porém, todos para exportação. Como na época comprar um carro não era para “qualquer um”, o público jovem ficava muitas vezes a “ver navios” pelo preço do carro, então a estratégia foi de lançar o Surf, menos equipado e com preço mais acessível para atingir essa fatia de público. Com o tempo vieram os ajustes, principalmente no design do veículo: faróis foram substituídos por novos, para-choques ficaram mais imponentes e a frente ganhou novo desenho. Isso sem falar na troca de nomes, tudo para abrir as portas para a nova geração que chegou ao mundo em 1981.

Veja o comercial de lançamento do Passat no Brasil:

 

  • 2ª – 1981 a 1988

Bem diferente da Primeira Geração, o Passat começou a década de 80 totalmente reestilizado. Na Segunda Geração o carro também foi lançado como se estivesse um ano a frente (modelo 1982), além de ter sua plataforma aumentada e ganhado dois “herdeiros”: a Quantum (SW) e a Santana (sedan). Isso já em 1984. Essa fase durou até meados de 88, quando a VW trouxe a terceira geração do Passat. Porém a fabricação do veículo aqui no Brasil deu-se por encerrada nesse ano, 1988.

Comercial da década de 80 no Brasil:

 

  • 3ª – 1988 a 1993

Se por um lado no Brasil o carro estava “extinto” das fábricas, na Europa ele continuou sendo fabricado normalmente, em Terceira Geração. Por lá o carro foi renovado e ficou mais cheio de curvas e arredondados, diferente de seus ancestrais que eram mais “quadrados”. Outro detalhe que ele perdeu foram as grades dianteiras. Quanto a motorização a montadora decidiu fazer a troca do ultrapassado motor com carburação pelos de injeção eletrônica. Desta vez foi escolhido um 2.8 V6 VR6 que chegou em 1991, atingindo os 224 km/h.

Passat Europeu 1993.  Crédito da Imagem: Cargurus.
Passat Europeu 1993. Crédito da Imagem: Cargurus.

 

  • 4ª – 1993 a 1996

Na Quarta Geração que começou em 1993, novo facelift e mudança na plataforma que dessa vez virou B4. A mecânica era igual a da G3, porém quem voltou foi a grade frontal. Do lado de dentro também houve acréscimos, principalmente no quesito segurança com a instalação dos airbags para o motorista e o passageiro. Como por lá o Diesel é permitido em automóveis de passeio, foi lançada também uma versão movida a esse combustível com motor TDI 1.9L com 90 cavalos de força.

 

  • 5ª – 1997 a 2000

Em 1997 o Passat chegou à sua Quinta Geração. Nesta nova fase o carro voltou a ser produzido sobre a plataforma de um Audi. O motor passou a ser longitudinal e com a nova estrutura passou a ser forte concorrente do Mondeo (Ford), Vectra (Opel), BMW Série 3 e Mercedes Classe C – isso sem falar que ele “tomou” o lugar do A4, da Audi. E com esses concorrentes já dá para imaginar que o luxo era um de seus predicados, uma vez que vinha bem equipado, moderno e sofisticado com itens elétricos em todo o carro, teto solar no mesmo estilo e bancos em couro. Debaixo do capô poderia estar um motor 1.8, 2.0, 2.3, 2.8 – com as variações 1.8L Turbo, 2.8L V6. Todos vinham com a opção de câmbio automático ou manual. Em 2001 o carro foi novamente reestilizado e passou por mudanças na parte mecânica, além de ter ganhado novos faróis e para-choques.

Passat da quinta geração chamava atenção pelo luxo interior. Crédito da Imagem: Divulgação.

 

  • 6ª – 2005 a 2010

Apresentada no Salão de Genebra, a Sexta Geração do Passat foi lançada em 2005 no continente europeu. Nessa versão ocorreu a volta do motor transversal e o câmbio era manual ou automático de seis velocidades.

Passat 2010. Crédito da Imagem: Divulgação.
Passat 2010. Crédito da Imagem: Divulgação.

 

  • 7ª – 2010 – atualmente

A Sétima Geração é a atual, que nasceu em 2010 e ganhou poucos retoques em comparação com a anterior. Em Portugal é possível encontrar o Passat com motorização 1.6 TDI, 2.0 TDI com 140cv ou 170cv.

Totalmente diferente, novo Passat 2015 traz linhas poderosas. Crédito da Imagem: Divulgação.
Totalmente diferente, novo Passat 2015 traz linhas poderosas. Crédito da Imagem: Divulgação.

Na semana que vem você vai relembrar a história de mais um clássico no SóCarrão Antigo: Chevrolet BelAir. Não perca!

Deixe uma resposta