Tata Nano – o que houve com o carro mais barato do mundo?

Não é nenhuma novidade dizer que quando um consumidor vai adquirir um veículo automotor um dos quesitos que mais pesam na hora da decisão é o preço. Nesse quesito nenhuma montadora ainda conseguiu bater a montadora indiana Tata Motors, apesar de pouco conhecida no mercado brasileiro, ela ficou famosa no mundo automobilístico devido ao fato de ter conseguindo produzir o veículo mais barato do mundo o Tata Nano.A construção desse veículo por um preço bem baixo foi uma conquista muito grande para a empresa que inicialmente comercializava o Tata Nano por 2.500 dólares.

No entanto, a manutenção desse preço se tornou um tanto quanto inviável, haja vista que o aumento considerável nos custos da produção desse carro fez com que a montadora realizasse um reajuste no preço desse veículo, que passou a custar 2.700 dólares na sua versão mais básica e 3.500 dólares a versão topo de linha que já vem equipada de fábrica com servofreio, ar-condicionado, vidros e travas elétricas, faróis de neblina e hodômetro digital.

A Tata Motors afirma que, segundo os seus controles estatísticos, conseguiu vender 70.000 unidades desse veículo e que após uma pesquisa de satisfação pós-venda foi possível detectar que 85% dos proprietários estão satisfeitos e muitos satisfeitos, conforme a pesquisa.

Um fato um pouco negativo que marcou o pós- lançamento desse veículo no ano de 2009 foi que algumas unidades desse carro após alguns meses de uso pegou fogo, a montadora se defendeu e informou que esses incêndios seriam oriundos de instalações mal feitas de acessórios, mas que mesmo assim iria fazer uma proteção especial da parte elétrica do carro e na região do escapamento onde, segundo os proprietários dos veículos, os incêndios haviam iniciado.

O Nano era um veículo que vinha para revolucionar o mercado de vendas de veículos no mundo, uma vez que devido às suas dimensões reduzidas, ele é um veículo muito fácil de ser conduzido, a sua caixa de marcha tem engates fáceis e as suas dimensões reduzidas contribuiriam bastante nos congestionamentos das metrópoles, bem como na realização de manobras.

O carro ganhou muita mídia, mas a chamada publicitária de “carro mais barato do mundo” acabou tendo conotação negativa para o modelo, que vendeu muito pouco. O certo é que esse veículo poderia ter alguma chance de sucesso no Brasil. Mesmo sua versão top de linha tenderia a custar menos de R$ 20 mil, já com impostos inclusos.

Deixe uma resposta