Skip to main content
Home » No SóCarrão » Você no SóCarrão » “Da implicância ao amor, lá se vão oito anos…”

“Da implicância ao amor, lá se vão oito anos…”

#VOCÊNOSÓCARRÃO: FERNANDO VON PARASKY – RIO DO SUL/ SANTA CATARINA.

A história do Você no SóCarrão é um pouco diferente das que costumamos contar aqui. Normalmente os proprietários compram o carro dos sonhos, aquele que já se viam dentro há um bom tempo, mas a história de Fernando Von Parasky é ao “contrário”. No começo era só implicância, até por que seu sonho de consumo não era bem um Santana, mas sim um Opala. Quem decidiu comprar o tal carro foi seu pai, já que teriam que “dividir” o possante. Mas como dizem que “o tempo é o senhor da razão”, aos poucos ele viu que aquele não era o carro de “tiozão” como pensava, mas sim, seu fiel “escudeiro” inseparável de muitas histórias. Hoje a implicância do começo acabou e lá se vão oito anos passeando com o carro. Veja o relato:

“Este Santana ainda é meu primeiro carro, o tenho desde os meus 19 anos – e já são oito com ele -. A história começou na minha adolescência, que foi dentro de um extinto clube de carros antigos aqui da cidade de Rio do sul – SC, basicamente composto por Chevrolet. Quando completei meus 18 e tirei carteira, quis a todo custo um Opala. Aos 19, meu pai fez a sugestão de comprar um carro “meio a meio” (para ele trabalhar e eu estudar) e aí surgiu um Gol Special 1.0 – ninguém gostou do carro e fomos trocar na garagem -. Pelo mesmo valor havia um VW Santana 97 e o negócio foi fechado, meio a contra gosto meu, pois eu achava que era “carro de velho”.

Comecei a sair com a Santana pela cidade e queria “me esconder”, pois não gostava dela, até que um dia estava parado em uma sinaleira* da cidade e ao lado encostou um Astra (Chevrolet, por ironia) com uma “galera” dentro, acelerando. Então por um segundo pensei: “vamos ver o que essa banheira faz”. Saí e cheguei à frente do outro carro nas três sinaleiras seguintes. Me surpreendi com o carro, então comecei a me interessar, saber qual motor era e  criei gosto pelo carro. Com o passar do tempo fui moldando como eu queria e hoje ele tem bancos em couro, acionamento de farol, DVD e rodas BBS RS 17″.

Ele é companheiro de muitas histórias. Através dele fundamos um Clube de VW na cidade de Rio do Sul, o Volk’s Club RSL. Com meu carro conheci cidades que antes nem imaginaria ir, pelo simples fato de o Clube participar de vários encontros. Fiz muitos amigos e conheci muita gente legal durante esses oito anos. Foi através dele que aprendi que para se ter uma coisa que você deseja, tem que persistir nela, indiferente do que os outros digam. Eu sei que ele não é o “baixo”, o mais forte e nem o mais novo, mas é o meu carro, o que montei para mim, do jeito que eu queria”.

 FERNANDO VON PARASKY

RIO DO SUL/ SANTA CATARINA

[easymedia-slider-two med=”26562″]

As fotos são do arquivo pessoal de Fernando Von Parasky. 

* No Sul, a palavra sinaleira é o mesmo que semáforo.

Participe você também. Envie sua história para jornalista@socarrao.com.br!

Compartilhar