“Orange”, a joia da família Antoniacomi

#VOCÊNOSÓCARRÃO: Fabiano Antoniacomi – CURITIBA/PR.

 

Que o Fusca é um dos carros mais amados pelo público, isso quase todo mundo já sabe. Difícil é achar alguém que goste tanto quanto o cinegrafista Fabiano Antoniacomi (36). Ele conta que gostar de Fusca vem da época em que estava na barriga da mãe, um amor que ultrapassa as gerações. O Fusca 1975 foi adquirido três anos mais tarde da estreia no mercado e um antes de seu nascimento. Seu pai era um grande fã do carro, que após o falecimento, ficou como herança e relíquia de família.

Hoje em dia Fabiano compartilha histórias com a esposa Jorgeane e o pequeno Gabriel, seu filho de três anos, que desde pequeno já demonstra todo o sentimento ao chegar perto do um Fusca. Para demonstrar o carinho da família por “Orange”, Fabiano gravou um pequeno documentário e fez uma fanpage onde mais de 600 pessoas conhecem de perto as aventuras do Fusquinha e dos proprietários.

“Minha história com Fusca começou exatamente na tarde do dia 13 de junho de 1979, o dia do meu nascimento, o último em que eu iria andar de Fusca 1975 amarelo manga na barriga de minha mãe. Daí para frente o contato com o veículo passou a ser diário: viagens, passeios, pescarias, velórios, festas… sempre com ele. Uma curiosidade que lembro que sempre que íamos a velórios o Fusca dava algum tipo de problema. Até parecia que o mesmo ficava sentido com este tipo de evento.

Após o falecimento de meu pai, o carro passou a ser de minha responsabilidade, mas com uma condição: ele não poderia ser vendido. Acabei tomando posse, pois meu irmão não se interessava pelo carro e minha mãe não dirigia. Meu pai sempre o manteve original, do jeitinho que ele continua hoje, com os mesmos acessórios de época, e agora ele ganhou alguns acessórios e opcionais a mais: Bagageiro, Px, Pestanas no farol, uma caixa da Brahma de madeira com mais ou menos 50 anos de idade, motor novo, detalhes cromados, entre outras coisas. 

O investimento nos últimos 17 anos embora não pareça é de mais ou menos 10 mil reais. Meu maior orgulho foi ter conseguido a publicação dele através de votações no Car Lendar, ou calendário 2015 de uma concessionária de carros em Curitiba. Hoje ele só é usado para ir a eventos de Fusca, em que sempre vou acompanhado de minha esposa Jorgeane e meu filho Gabriel, que tem três anos.

 Ah, até parece mentira, mas apesar da pouca idade ele e apaixonado por Fusca. Sempre que vamos juntos nos encontros e ele vê um em má conservação ele diz: “Papai fufu ta dodói”.  Por onde passo o Fusca chama atenção pela cor, pelo jeito, pelo estilo. Este é o mesmo  que me acompanha desde 1979, meus pais adquiriram ele em 1978. Bonito ou não, com ele não tem negócio, não vendo, não empresto!”

FABIANO ANTONIACOMI

CURITIBA/ PARANÁ.

Confira o documentário filmado e editado por Fabiano:

 

[easymedia-slider-two med=”25895″]

As imagens são de arquivo pessoal cedidas por Fabiano Antoniacomi.

 

Participe você também! Envie sua história para jornalista@socarrao.com.br. Você pode ser o próximo a aparecer aqui.

Deixe uma resposta