Cresce a procura por veículos seminovos no Paraná

Aumento foi de 6,3% em 2014. Tendência para este ano é que o mercado dos usados continue em expansão.

Comprar um carro novo não está mais tão atrativo para os brasileiros e a preferência agora é pelos usados. Pelo menos é o que apontam dados coletados nos doze meses de 2014 pela Associação dos Revendedores de Veículos Automotores do Paraná – Assovepar. De acordo com o balanço realizado pela instituição, a procura aumentou 6,3% em comparação com 2013.

O crescimento maior foi nos nove primeiros meses do ano passado, representando 5,6% do percentual. Em todo o estado, mais de 720 mil pessoas resolveram comprar seu primeiro automóvel ou substituir o que estava na garagem. O estudante Guilherme Santi Dias (20) faz parte desse grupo, pois em 2014 resolveu trocar de carro e comprou um Agile.

Ele conta que o custo-benefício foi um dos fatores relevantes na hora de fechar negócio, principalmente colocando na balança as vantagens de um “zero” e um usado: “Queria comprar um zero km, porém, o custo-benefício de um seminovo valeu mais a pena pela questão de o carro ser completo com ar, direção, vidros e travas elétricas”.

Segundo o vice-presidente da Assovepar Antonio Gilberto Deggerone, em 2013 havia necessidade de adaptação tanto do cliente quanto dos lojistas com relação às taxas e regras de financiamento, porém agora a situação mudou: “Essa prática já está consolidada e o comprador também tem procurado fazer uma compra mais segura, comparando preços e optando por prazos menores de financiamento”.

Dias confirma isso, pois ele diz que pensou muito bem antes de finalizar a compra: “Fui ver o carro duas ou três vezes antes de fechar negócio. Meu pai me ajudou na escolha, mas a decisão final foi minha. Os principais critérios foram o estado do carro, o fato de ele ser completo, com freios ABS, além também de pesquisar sobre o passado do carro e saber se a documentação estava em dia”.

Além de vir com mais itens em comparação com os zero km, um dos fatores que fazem com que os usados sejam a “bola da vez” é o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) autorizado pelo Governo Federal no início deste ano. A desvalorização de alguns modelos também tem deixado muitos consumidores com o “pé atrás”, fazendo com que o mercado dos seminovos fique mais aquecido.

“Temos observado um número muito grande de pessoas que migraram do novo para o seminovo, pois estão mais conscientes sobre a desvalorização que ocorre ao comprar o novo. O carro é um bem de consumo que desvaloriza, mas essa depreciação é menos sentida ao optar pelo seminovo. Vale destacar que pelo mesmo valor de um zero, o consumidor consegue comprar um seminovo com ótimas condições de uso e completo”, explica Deggerone.

Ainda segundo o vice-presidente da Assovepar, para quem pretende vender seu usado ou está à procura de um, 2015 será um bom ano: “Se a economia não sofrer abalos muito fortes, devemos registrar uma média de 5% de crescimento ao ano. Com o retorno da cobrança integral do IPI para os novos, temos mais este fator positivo para que os carros seminovos e usados continuem atrativos aos olhos e bolso do consumidor”.

Mas mesmo com tantas vantagens muita gente ainda tem um pouco de receio em comprar veículos que não tenham quilometragem zerada. Sobre isso Dias argumenta: “Acho que não se deve ter preconceito com seminovos, existem muitos carros em ótimo estado e que estão à venda por aí. Um seminovo pode trazer melhor custo-benefício quando se procura um carro completo por um preço mais baixo do que um zero km”.

Ainda sobre o assunto o estudante complementa e dá as dicas: “É claro que tem que cuidar muito e analisar muito bem o carro desejado antes de realizar a compra, mas tomando todos os cuidados é possível se fazer um bom negócio e sair feliz com a sua compra”, finaliza.