Skip to main content
Home » Notícias » Em 2014, número de indenizações pagas pelo DPVAT aumentou em 20%

Em 2014, número de indenizações pagas pelo DPVAT aumentou em 20%

De acordo com a seguradora responsável, mais de 763 mil casos foram atendidos no ano passado.

O seguro para Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) foi acionado 20% a mais no ano passado, em comparação com os anteriores. Isso é o que os dados da Seguradora Líder apontam. De acordo com a organização responsável pelos pagamentos, mais de 3,9 bilhões de reais foram repassados aos contribuintes em 2014. Apesar dos acidentes com vítimas fatais terem diminuído, a violência no trânsito continua.

Mais de 52 mil pessoas perderam suas vidas nas ruas e estradas de todo o país, somando cerca de 7% do total de ressarcimentos pelo seguro. Porém, as estatísticas apontam que aproximadamente 595 mil pessoas (78%) pediram indenização por invalidez e mais de 115 mil para cobrir despesas médicas (15%). Para se ter ideia da dimensão dos incidentes, cerca de 76% dos ressarcimentos foram realizados para motociclistas, representando 27% da frota de motos  do país.

Contrariando o que muitos pensam, os homens lideram os fatais envolvendo esse tipo de veículo (88%). Já nos com automóveis o percentual cai para 19%, sendo o restante com pick-ups, vans, micro-ônibus e ônibus. Mesmo num panorama geral pessoas do sexo masculino sofreram mais acidentes, sendo 75% homens e 25% mulheres.

De acordo com o Diretor- Presidente da Seguradora Líder  – DPVAT Ricardo Xavier, apesar do número de acidentes ser grande no país houve redução significativa dos envolvendo vítimas, principalmente pelo uso de cinto de segurança, airbags e também por haver mais fiscalizações com relação a velocidade e ao uso de bebidas alcoólicas.

Quem deve pagar o DPVAT e qual a cobertura?

Apesar de ser importante muita gente deixa de pagar o seguro ou tem dúvidas sobre o assunto. De acordo com o órgão responsável pelas indenizações, automóveis, ônibus, motocicletas, vans e micro-ônibus podem quitar o seguro à vista ou em até três vezes junto com o IPVA. Quem optar pela parcela única, o pagamento poderá ser feito no vencimento da primeira parcela do IPVA. Já para os isentos desse imposto a opção é de pagar junto com o emplacamento ou ainda no licenciamento anual do veículo.

Vale lembrar aos proprietários que estão vendendo ou comprando um automóvel, por exemplo, que a transferência só poderá ser feita quando o veículo estiver com tudo em dia, incluindo o segura obrigatório DPVAT. Veja na tabela abaixo quanto você deverá pagar neste ano:

Crédito da Imagem: Seguradora Líder.
Crédito da Imagem: Seguradora Líder.

O DPVAT dá cobertura para acidentes no trânsito que envolvam morte, invalidez permanente, despesas médicas e lesões com menos gravidade que tenham sido sofridas em todo o território nacional. O prazo para pedir indenizações é de até três anos após a ocorrência e os valores variam de R$ 2700,00 (para cobrir despesas médicas) a R$13.500,00 (em casos de vítimas fatais).

 Vítimas e parentes próximos como pais, filhos e cônjuges podem entrar com o pedido. Porém é nessa hora que o cuidado e a atenção devem ser redobrados para não cair em fraudes.

Como evitar cair em golpes na hora de pedir indenizações

É incompreensível, mas mesmo em horas difíceis há quem queria tirar proveito da situação. A motorista de ônibus Maria Dario passou por isso em 2012 quando seu filho caçula perdeu a vida em um trágico acidente de carro, voltando do trabalho. Ela conta que naquela noite recebeu a visita de uma funerária que tentou aplicar o famoso golpe do seguro. Segundo eles, seria necessário que ela assinasse um documento dando poderes para que conseguissem receber e arcar com as despesas do velório que custaria 12 mil reais.

Apesar da dor do momento ela manteve a calma e recusou: “Eles não se importam com a dor, só querem o lucro. Dizem que a gente assina uma procuração e lá já cuidam de tudo, que você não precisa se incomodar com nada e é aí que dão o golpe no DPVAT, pois gastam o mínimo e ficam com o restante”, afirma Maria.

Para se livrar da situação, a motorista foi firme e não se deixou levar pelo calor do momento: “Eu disse que tinha perdido um filho e não o juízo e que as flores não eram de ouro. Quando viram que não estavam falando com uma trouxa saíram de fininho, pois falei que ia chamar a polícia. Se encontram pessoas ingênuas se aproveitam mesmo”, conta a motorista.

Por isso, vale a dica: para acionar o DPVAT o contribuinte ou o familiar não precisa de terceiros, como advogados, funerárias ou particulares, pois o processo de entrada para indenizações desse tipo é gratuito. Apesar de levar certo tempo não tem erro, é de direito do contribuinte ou dos familiares receberem indenizações em casos de acidentes no trânsito.

Nesse momento o ideal é tentar manter a calma, reunir os documentos necessários, localizar um dos postos de atendimento mais perto de sua residência ou ainda, em agências dos Correios. Em caso de dúvidas o mais indicado é entrar em contato com a seguradora e falar diretamente com um representante, até mesmo para evitar cair em golpes e evitar aborrecimentos.

Para mais informações basta acessar o site (www.dpvatsegurodotransito.com.br) ou ainda entrar em contato pelo telefone (0800 022 1204).

Compartilhar

Top 5 - SóCarrão

Super Carrões

Super Motos

Carros Antigos