Mitos e verdades sobre consórcios

O consórcio para algumas pessoas é a oportunidade de realizar um sonho seja de imóveis, automóveis ou serviços. Porém, é preciso cautela para não entrar em uma cilada – por falta de informação, muitas pessoas acabam sendo lesadas por administradoras de consórcios.

Consórcio é um grupo de pessoas físicas ou jurídicas que se reúnem para aquisição de bens por meio de contribuições mensais dentro de um período pre-estabelecido. Esse sistema é regularizado e fiscalizado pelo Banco Central do Brasil, sendo possível consultar as leis e normativas desse serviço clicando aqui além da oportunidade do consumidor consultar consórcios regulamentados e impedidos de realizar novos grupos.

Antes de investir em um consórcio é aconselhável ligar para os órgãos de defesa do consumidor de sua região para ver se há reclamações contra a empresa, ler cuidadosamente seu contrato de adesão antes de assiná-lo e efetuar qualquer pagamento.

Algo importante e que o consumidor muitas vezes desconhece é o fato de que para haver contemplação, os recursos para esta finalidade são aqueles advindos dos pagamentos das mensalidades por todos os participantes do seu grupo, ou seja, se muitos deixam de pagar, o grupo pode enfrentar problemas.

Então o regulamento do Banco Central exige que as administradoras verifiquem a situação econômico-financeira dos integrantes do grupo que possuem características que não podem ser compartilhadas entre os outros grupos bem como os recursos.

O contrato deverá ser lido de forma detalhada atentando principalmente aos seguintes itens:

  • Especificação do bem;
  • Prazo para pagamento;
  • Garantias;
  • Prazo de duração;
  • Desistência;
  • Cálculo de prestações;
  • Fundo de reserva;
  • Taxa de administração;
  • Taxa de adesão;
  • Sorteios e lances.

No caso de posterior cancelamento do consórcio, a sua cota continua participando dos sorteios normalmente e somente quando houver a contemplação é que o consumidor receberá o valor devido do cancelamento do consórcio.

Isso é feito mediante ao sorteio da cota na assembleia, diferente da ideia de que esse valor somente é ressarcido ao final do plano do consórcio (detalhes que devem estar descritos no contrato).

A informação sempre foi a principal aliada em qualquer negócio e hoje em dia algumas empresas vendem “gato por lebre” e o consumidor somente tem conhecimento quando há o prejuízo. Consórcio é um bom negócio. Informe-se. Previna-se.

Deixe uma resposta