Skip to main content
Home » Cotidiano » Lamborghini se inspirou em touros para batizar carros da marca

Lamborghini se inspirou em touros para batizar carros da marca

No ano passado aconteceu um lançamento muito esperado. Trata-se do sucessor do Lamborghini Gallardo, o Huracán. Para quem não sabe, a Lamborghini tem uma histórica tradição de dar aos seus carros o mesmo nome de touros importantes na história das internacionalmente conhecidas corridas de touros.

E o Huracán (furacão em espanhol) não fugiu à tradição não. Huracán é o nome de um touro da linhagem Conte de la Padilla que lutou em Alicante há muito tempo, em 1879. O touro sempre esteve no escudo da marca Lamborghini, porém Ferrucio Lamborghini passou a batizar seus carros com os nomes dos touros de touradas (Toros Luchadores) somente no ano de 1966 com o lançamento do primeiro esportivo da marca, o famoso Miura.

O nome da máquina teve inspiração na fazenda do pecuarista Don Miura Fernandez que existia desde 1842 em Sevilha, na Espanha e era responsável pelas maiores e mais famosas linhagens de touros de briga do mundo. Ferruccio visitou a fazenda em 1962 e teria ficado impressionado com os animais, decidindo adotar seus nomes.

O segundo foi o Islero, um animal conhecido da primeira metade do século XX que tinha a visão enfraquecida e golpeava com o chifre direito. O touro foi conhecido por matar Manolete, um famoso toureiro da época.

Como crias do Rancho Miura temos ainda os touros Reventón e Murciélago. O primeiro matou Félix Guzman em 1943, o segundo entrou para a história como sendo um dos touros mais agressivos e resistentes do mundo. Reza a lenda que o touro lutou firmemente mesmo após 24 golpes de espada do toureiro.

A vida do touro foi poupada a pedido da multidão extasiada com a performance do animal e ele passou o resto dos seus dias na fazenda de Don Miura. Gallardo e Jalpa (este último um dos esportivos da marca da década de 1970) são “raças” de touro, também criados no Rancho Miura, junto das linhagens Vistahermosa, Vázquez e Cabrera.

Lamborghini Aventador

Embora o Rancho Miura seja a principal inspiração para os nomes dos carros, Aventador não veio de lá, mas da Itália, da criação de Don Celestino Cuadri Vides. Aventador Foi um bravo touro que lutou nas arenas de Sevilha, Espanha, em 1993, infelizmente sendo morto pelo toureiro Emilio Muñoz. No entanto, levou o prêmio (póstumo obviamente) Trofeo de La Peña Madroñera.

A única excessão é o Countach. Na verdade, Countach é uma reescrita de uma expressão na língua piemontesa, do norte da Itália, utilizada para expressar admiração e elogiar uma bela mulher.

Compartilhar