Skip to main content
Home » Notícias » Prazo para regularizar o extintor veicular vai até o fim de março

Prazo para regularizar o extintor veicular vai até o fim de março

Multa para quem não cumprir a lei é de R$127,69 e cinco pontos na carteira.

 

Imagine a situação: você está no trânsito e de repente avista um acidente em que um dos veículos está sendo tomado pelas chamas, ou do nada, seu carro começa a pegar fogo na garagem de casa. Para quem recorreria em primeiro lugar? Provavelmente ao extintor de incêndio do seu carro, é claro. E é nessas horas que se percebe o quanto esse item de segurança é importante, mas que muita gente acaba deixando sem manutenção.

Desde 2004 todos os automóveis nacionais ou importados trazem de fábrica os extintores com carga ABC por exigência do Contram, alterada em 2009 com a resolução 333 que exige a utilização do modelo ABC para 2015 em todos os veículos, incluindo os que foram fabricados antes desse ano.  Quem deixou para última hora acabou ficando sem ou pagou bem caro, uma vez que em alguns pontos de venda o valor chega a passar dos R$100,00 sendo que a média de custo é por volta dos sessenta. A atendente de farmácia Dalva do Prado sentiu isso na pele.

Ela conta que foi surpreendida pela “novidade” e sentiu dificuldades para encontrar o produto: “Fui pega de surpresa e tive que ir atrás disso. (Achar) foi difícil, pois em todas as lojas em que ia estava esgotado. Até achei uma que tinha, mas quando avisei minha filha já havia acabado”. Por casos como este, o prazo para trocar o extintor foi prorrogado até 01 de abril de 2015 pelo Departamento Nacional de Trânsito, o Denatran.

O coordenador de veículos do DETRAN do Paraná Nelson Lambach explica que após esse prazo quem for pego em desacordo com a lei sentirá no bolso as consequências: “A partir de abril deste ano, o proprietário de veículo que apresentar ao agente de trânsito, em fiscalização, extintor que não possua a carga A no cilindro, estará sujeito à infração de trânsito caracterizada como grave, sujeita a cinco pontos no prontuário da habilitação do infrator e recolhimento dos valores correspondentes”. Isso vale também para quem estiver com o equipamento fora da data de validade.

Lambach esclarece ainda que se houver necessidade, o motorista pode recorrer sobre a multa: “Os órgãos de trânsito registram infrações pela hipótese de extintores vencidos. Nesses casos não se fala em êxito quanto a isso, porém é assegurado ao motorista notificado ingressar com os recursos a ele assegurados em Lei nos prazos regulamentares”. A redação entrou em contato com o Departamento Nacional de Trânsito e obteve como resposta da Assessoria de Comunicação que “o objetivo da medida é garantir maior segurança aos motoristas e passageiros”.

Tipos de extintores

Para quem pensa que “extintor é tudo igual”, a notícia é que isso não é verdade. Para cada tipo de situação existe um modelo. No caso do tipo A o material utilizado para apagar as chamas é a água pressurizada. Esse é o mais indicado para situações que envolvam materiais sólidos em geral, como papéis e tecidos, por exemplo.

Já o tipo C, de gás carbônico, é ideal para quando há incêndio em materiais elétricos justamente por não ser um condutor de energia e assim, proteger a vida de quem vai tentar apagar as chamas. No caso do D a finalidade é conter o fogo em metais inflamáveis, mas não é muito comum de ser visto por aí.

O mais frequente e que todo mundo tem (ou pelo menos deveria) é o composto por pó químico seco, o B para líquidos inflamáveis e que pode ser usado também em materiais sólidos e elétricos. Por isso ele vem nos carros e recentemente ficou conhecido como ABC. Segundo a Comunicação Social do Denatran, “os extintores com carga ABC são mais modernos e atendem todas as classes de incêndio”.

Maneira correta de utilizar

Apesar de ser uma obrigação leva-lo dentro do carro ou até mesmo ter em ambientes em que há aglomeração de pessoas, muita gente ainda não sabe como proceder em caso de emergência que necessite utilizar um extintor de incêndio.

De acordo com Lambach, “é fundamental observar se o extintor possui o selo do INMETRO, está dentro do prazo de validade, possui as cargas ABC e por fim se encontra o medidor da pressão dentro do indicador verde, o que representa que esse está dentro das condições de segurança para operação”.

Se você ainda não sabe como proceder em casos assim, confira abaixo como agir em situações de emergência:

 

 

 

 

 

 

Compartilhar