Teste constata insegurança nas cadeirinhas para crianças.

Cadeirinhas para crianças são testadas e nenhuma das marcas receberam nota máxima para impacto frontal e lateral.

Foi realizado teste em oito marcas de cadeirinha para transporte de crianças no carro pela Proteste (Associação Brasileira de Defesa do consumidor), algumas ficaram muito abaixo da avaliação ideal, principalmente no quesito 0 a 25 quilos. Mas o que pegou mesmo foi o teste de impacto lateral que nenhuma das marcas receberam nota máxima, porem não existe uma regulamentação que torne esse tipo de avaliação obrigatória.

Na faixa de 0 a 13 quilos foram testadas as marcas BéBé Confort Streety.fix, Chicco KeyFit, Burigotto Touring Evolution, Cosco CC2001 e ABC Design Risus. Na faixa de 0 a 25 quilos, foram avaliados modelos da Burigotto Matrix Evolution, Safety 1ST Recline e Galzerano Futura. Nenhuma cadeirinha recebeu nota máxima de impacto frontal e lateral, e todas apresentam falhas nas informações para a instalação correta no veículo.

A Galzerano Futura obteve o pior resultado de todas. Durante o teste de colisão, houve grande deslocamento da cabeça do boneco e grande carga no pescoço quando se avaliava o grupo 2 (de 15 a 25 quilos). Esse foi um fator limitante para a nota geral, uma vez que as cadeirinhas multigrupos devem oferecer a mesma segurança para todos os grupos aos quais se destinam.

A base com Isofix da cadeirinha ABC Design Risus quebrou durante as avaliações, demonstrando que não é nada seguro fixá-la com esse dispositivo. No teste de impacto lateral, a cabeça do boneco se chocou com a lateral da porta do carro, e uma forte aceleração do tórax e da cabeça foi registrada.

Na categoria de zero a 25 quilos, as marcas Burigotto Matrix Evolution e Safety 1ST Recline tiveram desempenho ruim no teste de impacto frontal. A primeira apresentou grande deslocamento da cabeça durante os testes do grupo 0+ (de zero a 13 quilos) e 1 (de nove a 18 quilos), e, ao final da simulação, sua base estava quebrada e a cadeira rotacionada. A segunda, por sua vez, demonstrou grande carga na região do pescoço no teste para os grupos 1 e 2, e seu apoio para cabeça ainda se quebrou.

Nos testes de impacto frontal, os modelos da Burigotto Touring Evolution, da Bébé Confort Streety.fix e Chicco KeyFit, todos do grupo 0+, foram considerados muito bons, enquanto o modelo da ABC Design Risus foi avaliado como bom. O bebê-conforto da Cosco CC2001 obteve resultado apenas aceitável nesse teste, já que apresentou deslocamento da cabeça e aceleração do tórax do boneco, além da quebra de um dos “caminhos” por onde passa o cinto de segurança.

As cadeirinhas da BéBé Confort Streety.fix foram classificadas como a escolha certa para o consumidor devido ao desempenho superior obtido nos testes em relação as demais. No grupo de zero a 25 quilos, as marcas Burigotto Matrix Evolution e Safety 1ST Recline receberam o conceito aceitável, que não é suficiente para fazer com que elas sejam indicadas como bons produtos.

Mesmo com as falhas, a Proteste recomenda que as crianças sejam, sim, levadas no carro dentro de um sistema de retenção adequado ao seu peso. Há três tipos de cadeirinhas disponíveis: o bebê-conforto, adequado para recém-nascidos e crianças de até 13 quilos; as poltronas reversíveis, que também permitem transportar recém-nascidos (de costas para o banco da frente) e crianças de até 25 quilos; e a poltrona para posicionamento do cinto do carro (boosters), obrigatória para crianças de até sete anos e meio, ou que meçam até 1,45 metro.

 Fonte: Quatro Rodas

Deixe uma resposta