Volkswagen aceita fazer recall do Fox

A Volkswagen do Brasil fará um mega-recall do hatch compacto Fox, cujo banco traseiro causou acidentes ao ser rebatido para aumentar a capacidade de carga. Pelo menos oito pessoas tiveram dedos dilacerados ou mutilados ao manusear o mecanismo. A quantidade de carros envolvida pode chegar a 477 mil — ou seja, todos os Fox feitos no Brasil desde 2003, ano de seu lançamento.

A decisão foi tomada nesta segunda-feira (14) em Brasília, num encontro entre o Departamento de Defesa e Proteção ao Consumidor (DPDC, órgão do Ministério da Justiça) e representantes da Volkswagen, com a participação do Ministério Público Federal e de suas seções de São Paulo, Santa Catarina e Bahia, além do Procon de São Paulo.

Em nota oficial, a Volks informa que assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), pelo qual a empresa se compromete a realizar, no prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30, o recall do modelo Fox. Será uma das maiores operações desse gênero no Brasil. A marca também fará uma doação de R$ 3 milhões ao Fundo Federal de Defesa de Direitos Difusos. Tal contribuição é descrita como "voluntária" pela Volks, mas trata-se de uma espécie de "punição branca", já que o fundo recolhe as indenizações referentes a danos aos consumidores.

A fábrica ainda não divulgou oficialmente os números do recall, mas mantém em seu site uma área em que os proprietários podem consultar a necessidade de seu veículo passar por esse tipo de processo. É provável que ela seja usada também no caso do Fox. Clique aqui para acessá-la. A comunicação também deverá ser feita diretamente aos proprietários — pelo correio, por exemplo.

Os acidentes com o banco traseiro do Fox foram reportados pela primeira vez na revista "Quatro Rodas", em agosto de 2006. Repercutiram mais, porém, com texto veiculado no começo deste ano na "Época", que é uma revista de interesse geral. Desde então, a Volks vem fazendo esforços para evitar o recall do Fox, carro que é um grande sucesso de vendas. Em fevereiro, por exemplo, passou a oferecer gratuitamente aos proprietários do modelo uma peça adicional para ser acoplada ao dispositivo de rebatimento. Trata-se de um anel de borracha que impede a passagem do dedo pelo centro da argola. Os acidentes ocorreram quando algumas pessoas enfiaram o dedo por dentro dela — o deslocamento violento do conjunto causou as mutilações.

A Volks também criou um site para ensinar os motoristas a operar o sistema de rebatimento do banco sem correr o risco de se machucar — ou, como a Volks escreve no começo da apresentação, sem que haja "eventuais equívocos". Lá há dois vídeos mostrando o que fazer quanto ao banco e a peça suplementar — eles estão reproduzidos nesta página. O telefone 0800-019-8866, disponível de 2ª a 6ª das 8h às 22h, e aos sábados das 8h às 14h, também fornece informações sobre como operar o porta-malas. A Volks deve manter essas informações no ar, na Web, e o serviço telefônico funcionando até o início do recall.

Outro recall
O detalhe curioso é que o Fox é alvo de outro recall, já em andamento e muito menos barulhento que o do banco traseiro: em 26 de março, o Ministério da Justiça anunciou que 10.436 unidades do modelo feitas em 2003/2004 precisam ter o mecanismo de fechamento do capô dianteiro substituído, já que foi detectada a possibilidade de ele abrir com o carro em movimento.

Fonte: Uol