Fábricas de automóveis do Paraná retomam a produção em ritmo muito lento

Por Antonio Carlos da Silva

As fábricas de automóveis do Paraná já estão voltando a produção. Renault e Volkswagen, ambas localizadas em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, já começam a restabelecer a retomada na fabricação de veículos, mas em um ritmo bem lento, pois as vendas caíram 90% em abril e o mesmo deve ocorrer em maio. Mais da metade dos concessionários no Brasil ainda estão fechados, principalmente em grandes centros consumidores como São Paulo e Rio de Janeiro. As fábricas dizem que a retomada a normalidade sempre é demorada e que não irão produzir carros para estocar em seus pátios. E também dependem da cadeia de fornecedores, que também começa a voltar, além de muitos insumos que são importados, uma grande parte da China.

A Renault foi a primeira fábrica de automóveis no Brasil a voltar as atividades de produção em suas unidades de São José dos Pinhais, depois da quarentena. A retomada foi no dia 4 de maio em três turnos, pois ainda não havia um acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos para a redução de jornada.

Esta retomada está sendo feita respeitando todos os protocolos de segurança do Ministério da Saúde e também os adotados em outras unidades da Renault que já voltaram ao trabalho na França, desde o transporte dos colaboradores até os equipamentos de proteção na linha de produção.

Em assembleia realizada pelo Sindicato, foi aprovada a adoção da redução de jornada para os colaboradores da produção das quatro fábricas do Complexo Ayrton Senna, na Região Metropolitana de Curitiba.

A redução de jornada pode chegar a 70%, conforme a necessidade de cada fábrica e linha de produção e tem um prazo de 30 dias a partir de 18 de maio, podendo ser prorrogada por mais 30 dias.

A empresa completará o valor pago pelo governo, garantindo 100% do salário líquido para todos os colaboradores.

Para adequar a produção à demanda de mercado, outra medida adotada é a não renovação e a antecipação do encerramento dos contratos por tempo determinado de 300 colaboradores, com o pagamento de 100% do período faltante para o encerramento do contrato na rescisão, ou seja, o dobro do que prevê a lei. Extensão de plano médico por 3 meses para o titular e dependentes. Disponibilidade de um programa de orientação para a recolocação no mercado de trabalho, por meio de um serviço especializado. E a possibilidade de participar de um banco de talentos para futuros processos seletivos da Renault.

Volkswagen

Para a retomada da produção na Volkswagen do Brasil em sua fábrica localizada em São José dos Pinhais, no estado do Paraná, onde é produzido o SUV T-Cross além de modelos da Audi, a saúde e segurança de seus empregados é prioridade absoluta. A fábrica reinicia suas atividades no dia 18 de maio. As demais unidades fabris da empresa localizadas no estado de São Paulo – São Bernardo do Campo, Taubaté e São Carlos – têm previsão para retornarem à operação no final de maio.



As medidas de higiene e segurança para proteger a saúde dos empregados foram significativamente expandidas e baseadas nas experiências das fábricas do Grupo VW na China e Alemanha, em conformidade também com os protocolos internacionais e também alinhadas às determinações do governo. A VW de São José dos Pinhais começará o retorno às atividades de forma gradual. A primeira linha de produção a ser retomada será a do SUV T-Cross. Serão dois turnos em ritmo mais lento, com os empregados respeitando o distanciamento social recomendado, e com a curva de aceleração visando atender a demanda do mercado.

@carrosemotores_by_antoniosilva
facebook.com/programacarrosemotores

Deixe uma resposta