Como funciona o seguro de carros?

Já se perguntou como funciona o seguro de carros? Muitas vezes ficamos pensando tanto nisso como se fosse uma coisa muito complicada. No post de hoje a Revista SóCarrão traz para você alguns esclarecimentos acerca deste assunto que é de uma importância sem tamanho.

Mas, antes de começarmos, você sabe o que é e os porquês da existência do seguro de carro? Vamos começar com isso então? Continue a leitura!

O que é o seguro de carros?

O seguro, em poucas palavras, é um contrato que você assina junto a uma empresa chamada de seguradora, onde você paga uma taxa (que pode ser paga à vista ou mensalmente) para que garanta que você tenha ressarcimento em caso de alguma ocorrência com você e/ou o seu carro. 

Os seguros, atualmente, tem diversas modalidades e muitas opções, que agradam todos os tipos de donos e de carros, do mais básico ao mais avançado. Por exemplo, há os serviços chamados de “seguros parciais”, que cobrem apenas contra acidentes básicos, ou apenas os mais graves, ressarcem em alguns tipos de roubos ou furtos. Mas também há os seguros que cobrem todos os tipos de ocorrências, também chamados de “seguro total” ou “seguro completo”.

Claro que, independente da cobertura, você sempre deve ler o contrato de forma completa e atenta para que não deixe nada escapar, afinal de contas este seguro é o que vai dar base para você em caso de algum imprevisto ou ocorrência inesperada e indesejada.

Por que fazer o seguro de carros?

Primeiro de tudo, vamos falar sobre tranquilidade, segurança e comodidade? Parece meio óbvio falar sobre segurança quando estamos lidando com o seguro de carros, certo? Mas o ponto que pega aqui é justamente você poder dirigir por aí tendo a certeza de que se algum imprevisto acontecer, você terá com quem e o que contar. 

Por exemplo, suponhamos que você use seu carro diariamente para ir e voltar do trabalho, numa rotina constante e, por um acaso, deixou passar alguma manutenção ou revisão. De repente seu carro sofre uma pane, necessitando que seja levado à uma oficina o quanto antes, visto que você precisa seguir o seu trajeto ao trabalho. O custo de um guincho, dependendo da cidade, pode ser bem elevado (capitais, em média, tem um custo de R$150 à R$300 dependendo da distância a ser percorrida pelo reboque). Com certeza esse valor pagaria uma prestação do seguro, senão toda ela. Além disso, dependendo do plano contratado, a seguradora pode fornecer para você um carro reserva ou mesmo táxi incluso enquanto seu veículo segue em manutenção.

O seguro de carros é aquela coisa: melhor ter e não precisar do que precisar e não ter. Outro bom exemplo que podemos trazer da importância do seguro de carro é em casos de acidente. Claro que não é uma coisa que desejamos, muito menos esperamos, mas é sempre bom ter o seguro de carro nesses casos porque é ele quem vai nos dar ressarcimento de manutenção e reparos caso necessário e, em alguns casos, até incluem o seguro de vida dentro do pacote (como já falamos, existem seguros mais completos e os parciais. Sempre leia muito bem o plano escolhido).

Vamos agora entender como funciona o seguro automotivo?

Como funciona o seguro?

Bom, primeiramente você precisa pesquisar todas as empresas seguradoras que podem te atender. O ideal é você conversar com seus amigos e familiares e ver quais são as seguradoras que os atendem e entrar em contato para negociar diretamente com as empresas ou, como na maioria dos casos, com corretores que as representam.

Ao fazer o seu seguro de carros, logicamente seus dados serão solicitados e, como de praxe, será realizada uma verificação na sua situação do Cadastro de Pessoa Física. Tendo todas estas etapas pré-aprovadas, a seguradora ou o corretor vão pedir os dados do seu veículo para que comece a ser estudado os valores e as formas de contratação do seguro.

Com os cadastros concluídos, a seguradora enviará para aprovação os planos (ou pacotes) de seguro para que você escolha a que melhor lhe agrada. É aqui que você verá novamente os termos “seguro parcial” e “seguro total”, onde cada um destes tipos de contrato é explicado e você pode optar pelo que melhor cabe no seu bolso e/ou agrada com a cobertura, correto?

Após as etapas acima serem concluídas com a sua escolha do plano, acabam as partes mais burocráticas e passamos para a parte de avaliação do veículo, onde é realizada uma perícia por um representante da seguradora, juntamente ao dono do carro, para eles concordarem sobre o estado em que o carro está sendo cotado para entrar no seguro. Nessa etapa, dados como número do chassi, kilometragem, estado do motor do veículo, bem como da lataria são avaliados e fotografados para que ambas as partes estejam de acordos e tenham documentado tudo.

Tendo todas as partes concordado, acertado assinado todos os trâmites, a seguradora enviará um documento chamado APÓLICE que conterá todos os dados da contratada, contratante, do carro, do plano e também tudo o que é considerado direito e dever de ambas as partes. É com o número da apólice que, quando precisamos dos serviços do seguro, abrimos o chamado para com a seguradora, sendo uma forma mais prática e fácil deles encontrarem nosso cadastro e entenderem do que se trata.

Estas são as dicas que a Revista SóCarrão trouxe para você sobre seguro de carro! Tem mais dúvidas? Quer contar um acontecimento do assunto? Quer sugerir alguma pauta? Deixe nos comentários que a gente logo responde!

Abraço e até a próxima!

Deixe uma resposta